NOTÍCIAS
25/01/2015 10:33 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

Fotos de cortar o coração mostram o drama da obesidade vivido por uma família

San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis

Hector Garcia Jr. chegou a pesar 288,5 quilos.

Depois de ser ridicularizado por ser obeso quando era criança, ele começou a fazer regimes na adolescência, mas sempre voltava a engordar por causa dos maus hábitos alimentares e, provavelmente, por predisposição genética. Às vezes confinado em sua própria casa, Garcia disse ao San Antonio Express-News não conseguir se lembrar de quando foi realmente feliz.

“É difícil lutar pela minha vida quando sinto que ela não é uma vida”, disse ele. “É existência. Existência não é suficiente para mim.”

hector garcia

src="https://s-i.huffpost.com/gen/2503644/thumbs/o-HECTOR-GARCIA-900.jpg?6" />

9 de novembro de 2010. Com quase 272 quilos, Hector Garcia Jr. tinha dificuldades nas tarefas diárias, como tomar banho. Ele lutava para caminhar do seu quarto até o banheiro para que sua mãe, Elena, pudesse lhe dar banho. Hector havia começado um regime depois de perceber que estava perto do seu maior peso, 288,5 quilos. (Lisa Krantz/San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis)



Entre os americanos acima de 20 anos, 69% estão acima do peso, e 35,1% são obesos, segundo o Centro de Controle de Doenças, o CDC. A obesidade aumenta os riscos de que a pessoa sofra vários problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas, derrames, diabetes tipo 2, apneia do sono e certos tipos de câncer. Cerca de 3,4 milhões de adultos morrem anualmente em todo o mundo por estarem acima do peso ou serem obesos.

Garcia permitiu que a fotógrafa Lisa Krantz e a repórter de saúde Jessica Belasco, do Express News, o acompanhassem durante quatro anos, começando em 2010, para registrar o drama que a obesidade de Garcia representava para ele e para sua família. “Minha vida é um alerta”, disse ele ao jornal.

Por volta de 2000, Garcia decidiu fazer uma cirurgia de redução de estômago, segundo o Express-News. Depois da operação, ele perdeu cerca de 180 quilos, mas lentamente ganhou tudo de novo. “(A operação) ajuda a perder peso, mas não ensina a comer”, disse ele ao jornal. “As pessoas acham que é uma pílula milagrosa. Tenho uma novidade pra você. Você ainda tem de se esforçar bastante.”

Em 2012, Garcia foi operado para colocar próteses nos dois joelhos, gravemente danificados por causa do seu peso. Para fazer a cirurgia, ele perdeu quase 160 quilos. Mas complicações no pós-operatório o levaram à depressão. Some-se a isso a falta de exercícios e o exagero na comida, e Garcia voltou a engordar muito novamente. Em 2014, seu peso voltou a bater nos 225 quilos.

“Como demais porque a comida nunca me rejeita”, disse Garcia ao Express-News. “Mas a verdade é que agora ela está me rejeitando, porque está me matando. Se eu não tomar cuidado, ela vai me rejeitar até o ponto de me matar.”

Em 8 de dezembro, com dificuldades para respirar, Garcia teve um colapso. Paramédicos foram chamados, mas era tarde demais. A causa da morte é desconhecida, segundo o jornal.

Abaixo, alguns dos momentos da vida de Garcia, capturados por Krantz. Visite o Express-News para ler a série de reportagens.

hector garcia

src="https://s-i.huffpost.com/gen/2503632/thumbs/o-HECTOR-GARCIA-900.jpg?6" />

22 de setembro de 2014. Confinado a sua cadeira, Garcia olha um saco com uma porção de 20 Chicken McNuggets, comprados por sua mãe. As segundas-feiras eram sempre o dia em que ele tinha uma folga do regime, mas nos últimos meses ele confessou que quase todo dia era de folga, pois ele estava perdendo a motivação. (Lisa Krantz/San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis)

hector garcia

src="https://s-i.huffpost.com/gen/2503640/thumbs/o-HECTOR-GARCIA-900.jpg?6" />

20 de abril de 2012. Depois de perder quase 135 quilos, Garcia não precisava mais de um andador. Mas a dor que ele sentia nos joelhos ainda era debilitante. Ele continuava caminhando em volta da piscina até a cirurgia nos joelhos. Até a adolescência, quando começou a ganhar muito peso, Garcia não tinha as pernas tortas. (Lisa Krantz/San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis)

hector garcia

src="https://s-i.huffpost.com/gen/2503658/thumbs/o-HECTOR-GARCIA-900.jpg?5" />

10 de junho de 2014. O peso de Garcia de novo se aproximava dos 225 quilos. Depois de quatro operações nos joelhos, ele precisava de um andador para caminhar e sentia instabilidade nas articulações. Os Garcia nem sempre encontravam carrinhos motorizados nas lojas, como os da foto acima. (Lisa Krantz/San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis)

hector garcia

src="https://s-i.huffpost.com/gen/2503636/thumbs/o-HECTOR-GARCIA-900.jpg?6" />

11 de janeiro de 2011. Garcia se assusta na preparação de um eletrocardiograma realizado pela Visiting Physicians Association. (Lisa Krantz/San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis)

hector garcia

src="https://s-i.huffpost.com/gen/2503654/thumbs/o-HECTOR-GARCIA-900.jpg?6" />

8 de dezembro de 2014. O corpo de Garcia é retirado de sua casa por funcionários do Instituto Médico Legal do condado de Bexar. Garcia disse que não conseguia respirar e teve um colapso. (Lisa Krantz/San Antonio Express-News/ZUMA Press/Corbis)

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS

- Beber refrigerantes faz com que suas células envelheçam mais rápido, sugere estudo

- Dormir em ambientes frios pode acelerar metabolismo, combater obesidade e diabetes

- Cientistas estudam pílula que substitui exercício físico