NOTÍCIAS
22/01/2015 18:18 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Morales inicia terceiro mandato na Bolívia prometendo aprofundar modelo socialista

O presidente da Bolívia, Evo Morales, assumiu nesta quinta-feira (22) seu terceiro mandato consecutivo prometendo levar adiante o "socialismo originário" que fez dele o mandatário mais popular da região, mesmo em meio à queda acentuada nos preços das matérias-primas que o país exporta, o que poderia complicar seus planos.

Durante quase uma década no poder, Morales conseguiu manter um crescimento sustentado da economia, reduzir a pobreza e preservar a responsabilidade fiscal com programas sociais e nacionalizando indústrias fundamentais como as de petróleo e gás.

Com um forte apoio popular, o primeiro presidente indígena boliviano, de 55 anos, venceu com folga as eleições de outubro, com mais de 60 por cento dos votos.

Morales prestou juramento na Assembleia Legislativa para assumir as rédeas do país até 2020 diante de vários chefes de Estado, entre eles a presidente Dilma Rousseff, que deixou de ir ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suiça, para comparecer à posse. Também estiveram presentes o mandatário venezuelano, Nicolás Maduro, e o equatoriano, Rafael Correa.

(Com Reuters)

  • Morales recebe faixa presidencial do vice-presidente, Álvaro Garcia Linera
    David Mercado/Reuters
  • Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, acompanhou cerimônia
    David Mercado/Reuters
  • Dilma Rousseff, que deixou de ir a Davos para prestigiar Morales
    David Mercado/Reuters
  • Rafael Correa, presidente do Equador, participa da posse
    David Mercado/Reuters
  • Comandantes das Forças Armadas parabenizam Morales
    David Mercado/Reuters
  • Morales, Dilma e Correa durante a cerimônia
    David Mercado/Reuters
  • Morales acena aos eleitores, que garantiram 60% dos votos ao presidente
    David Mercado/Reuters