NOTÍCIAS
21/01/2015 17:05 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Haddad chama Padilha, ex-ministro da Saúde, para a secretaria de Relações Governamentais

Montagem/Estadão Conteúdo

O prefeito Fernando Haddad (PT) deve oficializar até amanhã cedo o convite para o ex-ministro Alexandre Padilha, de 43 anos, assumir a Secretaria Municipal de Relações Governamentais.

Padilha já recebeu o convite do secretário de Governo, Chico Macena, que também ofereceu a possibilidade de o ex-ministro assumir a Saúde ou a Coordenação de Subprefeituras. Padilha também tem sido pressionado pelo próprio partido a aceitar o convite. Antes reticente em compor o governo, o ex-ministro já fala agora em "ajudar Haddad nas mudanças que ele vem fazendo."

Padilha ainda está "magoado", segundo assessores próximos, com a falta de empenho da gestão Haddad em sua campanha ao governo estadual. E, por isso, ainda não aceitou o convite. Ele já havia adiantado que não aceitaria "de forma alguma" a Secretaria Municipal de Saúde, ocupada pelo seu amigo e aliado José di Filippi Júnior.

Interlocutores do PT estão fazendo "as tratativas entre o partido e o prefeito" para Padilha ir ao governo. A ideia do partido é mantê-lo em evidência, para que ele se mantenha como opção para 2018 - seja no Senado ou no governo.

Padilha vai exercer função semelhante à que ocupou no segundo mandato do governo Lula, como ministro de Relações Institucionais. O ex-ministro terá a tarefa de melhorar a conflituosa relação entre Haddad e sua base governista na Câmara Municipal.

Procurado nesta quarta-feira, 21, Padilha informou que não teve convite oficial do próprio prefeito. "Mas estou à disposição a ajudar o prefeito Haddad nas mudanças que ele vem fazendo em São Paulo", informou a assessoria do ex-ministro. Como secretário, Padilha vai receber R$ 19,2 mil mensais.

Na semana passada, ele havia declarado que não aceitaria ocupar funções na gestão Haddad e que se dedicaria às atividades do partido. Mas quem tem feito o trabalho de convencer Padilha a entrar para a Prefeitura é o ex-presidente Lula.

Lula tem citado ao ex-ministro as possibilidades de "fazer política" na pasta de Relações Governamentais, onde será o responsável por intermediar a relação do prefeito com os 55 vereadores.

Caberá também a Padilha executar as obras previstas com emendas de parlamentares - cada vereador tem direito a indicar R$ 2 milhões em obras por ano em seus redutos eleitorais.

Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost