NOTÍCIAS
20/01/2015 09:39 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Petrobras mantém preço de gasolina e diesel e define apenas novo repasse de impostos

Flickr/Estadão Conteúdo/Montagem

A Petrobras decidiu manter inalterado o preço cobrado pela gasolina e diesel. Os valores desses derivados nas refinarias serão acrescidos do PIS/Cofins (Programa de Integração Social/Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) e a Cide (Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico) anunciados hoje pelo governo federal, segundo comunicado divulgado há pouco.

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, informou hoje que o PIS/Cofins vai incidir sobre os combustíveis a partir de 1º de fevereiro. Já a Cide levará 90 dias para entrar em vigor. Enquanto a Cide não estiver vingente, o governo vai aplicar PIS/Cofins maior sobre os combustíveis, para compensar o período de entrada em vigor da nova Cide. Depois, quando esta entrar em vigor integralmente, o PIS/Cofins será reduzido ao normal.

Juntos, os tributos terão impacto de R$ 0,22 por litro de gasolina e R$ 0,15 sobre o diesel nas refinarias.

A nova tributação vai levar o governo aumentar a arrecadação em R$ 12,2 bilhões neste ano. Segundo o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, o impacto será de R$ 9,6 bilhões nos cofres da União com as cobranças do PIS/Cofins e de R$ 3,6 bilhões com a Cide.

Existia um questionamento sobre se a Petrobras reduziria o preço dos combustíveis para compensar a alta nos impostos. Entretanto, conforme o comunicado, a empresa definiu que o preço líquido praticado ficará inalterado.