NOTÍCIAS
20/01/2015 19:16 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

O BBB nem começou, mas já estamos impressionados com a falta de noção deste candidato

Divulgação/TVGlobo

É hoje!

Nesta terça-feira (20), estreia o Big Brother Brasil 15. A promessa dessa edição é a de que os selecionados serão mais "gente como a gente", com menos ênfase no perfil bombado-modelo-atriz. A ideia é resgatar a essência do início do programa que já lançou personalidades como a apresentadora Sabrina Sato, o deputado federal Jean Wyllys, as atrizes Grazi Massafera e Juliana Alves e por aí vai...

O problema é que em cada edição do BBB, ao mesmo tempo em que conhecemos pessoas bacanas, somos apresentados a outras bem erradas. Essa edição do reality nem começou, mas as redes sociais já elegeram alguns candidatos que amamos odiar. O destaque? Adrilles Jorge, o stalker.

Segundo o jornal Extra, do Rio, Adrilles inclusive já perseguiu uma mulher que o rejeitou. Adrilles era apaixonado por uma colega de trabalho que estava noiva e, sem ser correspondido, investigou a vida da moça e, para se vingar, conseguiu impedir que o casamento acontecesse (!).

A história foi tão longe que a blogueira e professora Lola Aronovich recebeu uma série de depoimentos e publicou um post, em seu blog, explicando o caso com mais detalhes. De acordo com Lola, a história é muito, muito pior que aquela narrada pelo Extra. Abaixo, reproduzimos um trecho do post da blogueira:

Qualquer mulher que já passou pelo pesadelo de ser stalkeada pode dizer que não há nada de gentil, divertido ou elogioso em ser perseguida [...] Ele era rebuscado, inconveniente, grudento. Ana já estava noiva, mas isso não o impediu de persegui-la. Ele ligava dia e noite para sua casa, ligava para as amigas, queria saber onde ela estava, aparecia sem avisar. Adrilles conseguiu um emprego onde Ana trabalhava para ficar perto dela. [...] Ela preferiu largar o emprego. O assédio de Adrilles a ela, porém, não cessou. Ao todo, durou dez anos. Dez anos de puro inferno.

Assim que o escritor mineiro apareceu na lista de participantes, vieram à público histórias de mulheres que foram perseguidas por eles via redes sociais. E, por isso, até um Tumblr foi montado. Ele se refere às moças como "moçoilas" e não... ele não desiste!

E como recordar é viver, aqui estão outros participantes do BBB que já disseram ou fizeram coisas tão questionáveis que nos fazem pensar em qual é o critério para se escolher candidatos:

1. Daniel Echaniz

Após uma festa agitada, Daniel e Monique, bêbados, se deitaram na mesma cama. Pouco depois, o brother começou a bulinar Monique, enquanto ela parecia dormir. Logo, a hipótese de estupro foi levantada, causando a expulsão de Danieldo programa. Um inquérito foi aberto, e ele acabou inocentado. Em depoimento à polícia, ambos disseram que houve consentimento, mas muita gente ainda duvida.

2. Cássio

Quando a atriz Tatá Werneck invadiu a ~nave louca~ o candidato perguntou a o que ela achava de se relacionar com um cara alto. E começaram os absurdos: “Eu tô respondendo um processo. É sério, não ri, de verdade. Eu tô respondendo um processo até hoje, por assassinato, entende? Olha pra mim e não ri. Tu acha engraçado, mas eu acho triste. Eu quase não entrei na casa por causa do processo. Eu falo nega, nego, porque é a que eu atravessei... que eu... desculpa. Sério. Ela era afrodescendente. E eu acho que assim, uma afrodescendente costuma se relacionar com? Com afrodescendentes. E eu pensei: pô, aguenta tudo. E eu atravessei. E eu até hoje sou acusado de assassinato, entende?"

Oi?

3. Marcelo Dourado

Em seu segundo BBB, Marcelo Dourado disparou: “Hetero não pega AIDS, isso eu digo porque eu conversei com médicos e eles me disseram isso. Um homem transmite para outro homem, mas uma mulher não passa para o homem (...) Se a mulher casada tem a doença é porque o marido dela foi errado e em algum momento foi bissexual”. Desinformado, preconceituoso e ignorante.

4. Dhomini

Em sua segunda passagem pelo reality, Dhomini disse que teria arrancado os dentes de um cachorro, depois de ter sido mordido pelo animal. “Ele me mordeu, eu pisei na corrente dele... Peguei um machado e os homens gritando: 'não, não, não'. Extraí os dentes da boca dele tudo. Aí ele ficou meu amigo, o banguelo. Ele ria para mim só com uns caquinhos do dente (...) Nunca mais mordeu ninguém. Não tinha dente", disse, rindo. Engraçadão.

5. Fernando

O pitboy proferiu diversos discursos machistas durante seus sermões dados a Natália, namorada liberal e sem papas na língua. "Eu só falava para a Natália as coisas porque eu gostava dela. Ela vai levar isso para a vida. Quando a gente ama, a gente cuida. Ela sentava de pernas abertas e ficava aparecendo a calcinha. É uma menina-mulher, uma moleca. Nem Jesus Cristo agradou a todos", disse Fernando à Folha de S.Paulo. Machista é pouco.

6. Diego

O disputadíssimo troféu de maior homofóbico do BBB vai para Diego. Depois de ouvir Vanessa apoiando que casais do mesmo sexo adotem crianças, ele começou com o chorume: “O menino vai pensar: ‘na minha casa tem duas mães, elas se beijam'. Não sou contra, não tenho nada a ver com isso, mas a criança vai ficar confusa (...) Influencia na cabeça, o psicológico da criança. (...) Ele vai ver duas mulheres se beijando e achar que aquilo é normal”. Imediatamente, Clara reagiu: “Mas é normal”. Ponto para Clara.

7. Franciele

“Eu tenho um pouco de negra. Se eu não usar desodorante, fico com cheiro de neguinha”, disparou a sister, em uma declaração pra lá de racista. O brother Valter então explicou que o tom de pele não determina cheiro. “Aí você está sendo racista. E branco não tem cheiro?”, respondeu. “Ah, mas isso é o que eles [brancos] falam...”, defendeu-se Franciele. O comentário controverso causou revolta nas redes sociais.

8. Ângela

Mais um show de preconceito em relação à Aids. Durante uma conversa sobre a doença, um comentário infeliz de Ângela revoltou os telespectadores. Primeiro, Cássio tentou explicar aos participantes a possibilidade de se erradicar a doença: “O que o governo gasta com remédios para os portadores de Aids, se ele gastasse apenas três vezes mais, em 40 anos acabava a AIDS no mundo. Daria remédio para todas as pessoas. Quem já tem, geralmente não dura mais de 40 anos, falecem, e a Aids acaba”. A sister arrematou: “Vamos matar todo mundo”. Santa intolerância.

9. Marcelo

Mais um caso no BBB em que "não" não foi "não": a sister Angela, quase desacordada por que havia bebido demais, disse uma série de vezes que não queria ficar com Marcelo, na décima quarta edição do programa. Ele simplesmente ignorou e subiu em cima dela, em uma atitude abusiva e completamente desrespeitosa. A atitude gerou uma briga enorme dentro da casa, mas ficou por isso. Quantas vezes teremos de dizer que NÃO é NÃO?