COMPORTAMENTO
20/01/2015 21:36 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Grupo inunda com absorventes empresa que assediou funcionárias por causa de menstruação

iStock

Um grupo está reunindo apoio online em protesto contra uma empresa indiana que obrigou suas funcionárias a se submeter a revista íntima depois que um absorvente foi encontrado na companhia.

Cerca de 45 mulheres – todas funcionárias da Asma Rubber Private Limited e com menos de 50 anos – tiveram de tirar a roupa para serem revistadas por duas supervisoras. A medida foi tomada porque um absorvente interno usado foi encontrado em um banheiro no dia 10 de dezembro do ano passado.

Agora, uma campanha de Facebook intitulada “Red Alert: You’ve Got a Napkin!” (alerta vermelho: você tem um absorvente) – lançado pelo grupo anti-patrulha moral “Kiss of Love” (https://www.facebook.com/kissoflovekochi/info?tab=page_info) – engrossa o coro de indignação contra a Asma Rubber Private Limited e chama atenção para a falta de consciência sobre a saúde reprodutiva das indianas, especialmente no que diz respeito a tabus relacionados à menstruação.

O grupo escreveu no Facebook:

“Este não é um ato isolado. A falta de instalações sanitárias mínimas, sem falar em boas condições higiênicas, é um problema grave enfrentado diariamente pelas mulheres. Várias empresas não permitem que os funcionários usem o banheiro mais que duas vezes durante o expediente. Os vários casos relatados recentemente sobre a discriminação sofrida pelas funcionárias menstruadas da KSRTC é outro exemplo do problema. Elas são acusadas de ‘poluir’ e ‘contaminar’ lugares públicos e às vezes sagrados, meramente com sua presença. Proteste contra esse ato desumano!”

A campanha do “Alerta Vermelho” pediu que as pessoas enviassem absorventes usados ou não para o escritório da Asma Rubber Private Limited. Várias pessoas postaram fotos dos itens que enviaram:

Como relata a BBC News, tabus podem gerar mitos perigosos sobre mulheres menstruadas – de que elas seriam impuras, imundas ou até mesmo amaldiçoadas. Além disso, a Bloomberg afirmou que, na Índia, tabus envolvendo saúde sexual e produtos de higiene são verdadeiras barreiras que impedem que mulheres tenham acesso à educação e atinjam seu potencial econômico. Uma menina de 15 anos disse à BBC que não vai à escola quando está menstruada porque tem “vergonha e raiva” e se sente “muito suja".

Segundo um estudo da AC Nielsen, 12% das mulheres indianas que estão em idade de menstruar usam absorventes íntimos. A maioria utiliza alternativas não-higiênicas, como tecido, cinzas ou um pó de feito com casca de grãos.

Em 27 de dezembro, depois de uma denúncia da Comissão das Mulheres de Kerala, um grupo de defesa dos direitos das mulheres, a polícia do país iniciou uma investigação da Asma Rubber Private Limited.

Siga a gente no Twitter

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.