COMPORTAMENTO
16/01/2015 18:02 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Gwen Stefani sobre sexualidade de seus filhos: 'Não quero que eles tentem ser como todo mundo'

Mark Davis/Getty Images

Gwen Stefani diz ao PrideSource que “ser única e original é o que me deixa feliz” e que isso se estende ao seu comportamento como mãe.

A líder do No Doubt, de 45 anos, descreveu ter feito a mão de seu filho mais velho, Kingston, e disse que só quer que seus filhos “sejam felizes”, portanto não se preocupa com normas de gênero.

Ela disse:

Tenho literalmente 400 vidros de esmalte. Eles tiraram tudo [do lugar] e espalharam pelo banheiro. Brincamos de manicure, e eu fiz listas de tigre nas unhas [do filho]. Disse para Kingston: “Tem certeza que quer rosa? Você vai para a escola amanhã. Tem certeza que não vai ficar com vergonha?” Ele disse: “Tudo bem, não me importo; é uma cor legal”.

Amo isso. É muito importante não se deixar levar pelo que os outros falam, manter sua posição e ser forte em relação ao que você sente. É disso que eu gosto e é o que quero que eles aprendam – que ser um indivíduo e ser único é importante. Não tenha medo. Não quero que eles tentem ser como todo mundo. Nessa idade, todo mundo quer ter os mesmo tênis que os outros, não gosto disso.

Stefani, que disse que os gays que conheceu em sua carreira são “pessoas muito criativas e amigas de maneira que não tinha encontrado até então”, lembrou de uma camiseta que desenhou para a Target, com o slogan “Love Is Love”(amor é amor).

“... Tomar uma posição foi – quero dizer, é claro que tenho opinião sobre as coisas, mas sou sutil”, disse ela. Stefani afirmou ser “muito tímida para ser ativa politicamente”, pois é libriana e, portanto, “tudo tem a ver com equilíbrio”. “A camiseta não era uma tomada de posição. Ela pode servir para isso, mas não precisa ser para isso... O que quero dizer é que essa camiseta serve para qualquer um. Não importa quem você seja, o que faça ou o que pense – amor é amor. Entenda como quiser.”

A entrevista completa está aqui.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.