NOTÍCIAS
09/01/2015 09:28 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

França mobiliza mais de 80 mil policiais em caçada aos suspeitos de atentado à revista Charlie Hebdo

AP Photo/ Peter Dejong

Pelo menos 80 mil policiais franceses estão mobilizados em uma caçada aos dois principais suspeitos de serem os autores do ataque à revistaCharlie Hebdo.

A operação se concentram em Dammartin-en-Goele, na região nordeste de Paris. O local fica a cerca de 40 quilômetros de onde a polícia vinha procurando os suspeitos na quinta-feira (8).

Chérif Kouach, 35, e Said Kouach, 32, principais suspeitos do ataque, estariam entrincheirados dentro de uma fábrica, onde teriam feito reféns. Outro suspeito de participar do ataque, de 18 anos, se entregou à polícia, e alega inocência.

Ainda é incerto se negociações estão em curso, mas a imprensa francesa diz que os suspeitos afirmam que querem morrer como mártires. Segundo o Ministério do Interior, a prioridade é estabelecer um diálogo com os dois irmãos. Vários helicópteros sobrevoam a região.

Mais cedo, tiros foram ouvidos na cidade e uma fonte da polícia disse que as forças de segurança estavam perseguindo um veículo numa rodovia próxima, a A2.

Doze pessoas foram mortas no ataque - oito funcionários do semanário, um colaborador, dois policiais e um funcionário do edifício onde fica a redação da Charlie Hebdo.

A operação também teria afetado as atividades no aeroporto Charles de Gaulle, que fica muito perto de onde acontece o cerco.

Os alunos das escolas primárias da região estão trancados dentro dos estabelecimentos, e a polícia pede que os moradores da região não deixem suas casas. A orientação também é de que seja mantida distância das janelas e que as luzes fiquem apagadas.

Com informações das agências de notícias