MULHERES
07/01/2015 19:36 -02 | Atualizado 12/08/2019 16:06 -03

Como começar o dia sem aquele stress já na hora de se arrumar

ChrisMilesPhoto via Getty Images

Eu costumo passar minhas manhãs correndo - correndo para tomar o café da manhã e preparar o almoço do dia - e tudo por causa do meu hábito irritante de não acordar na hora certa. Através da agitação louca de todos os dias, eu penso em um milhão de coisas, enquanto o Spotify toca meu álbum favorito daquele momento.

As coisas que contribuem para a ansiedade da falta de tempo são as seguintes: o que é que eu vou vestir hoje... eu já coloquei protetor solar... meus cabelos estão com uma boa aparência na parte de trás... eu deveria usar batom vermelho ou roxo hoje ... onde diabos eu deixei meu sapato esquerdo?

Sim, tudo isso soa superficial. Mas não, esta não é mais uma história para você descobrir “coisas sobre si mesmo”, mas sim um reflexão sobre os meus atos passados.

Rebobine para um par de semanas atrás, quando eu decidi cortar os meus cabelos. Fazia já três anos desde a minha última visita ao cabelereiro e eu tinha o objetivo de fazer com que os meus cachos naturais crescessem. Mas, claro, isso acontece com toda transformação de cabelos que eu já passei. Eu fiquei cansada deles e negligenciei até que secaram e ficaram totalmente incontroláveis.

Nos dias anteriores ao quarto grande corte da minha vida, me deparei com uma nova rotina. Torci meus longos cabelos pela última vez e sentei em frente ao espelho como se fosse normal... mas, desta vez, estava tudo silencioso. A banda, The Strokes, não explodia do meu iPad, nem a terceira temporada de “Breaking Bad” estava passando no Netflix. Havia apenas o barulho silencioso do meu quarto.

A rotina física aconteceu em um movimento fluido, como sempre: condicionador, óleo, manteiga de karité, torcer. No entanto, foi a aventura mental que eu tive naquele instante que transformou o momento em um momento único, diferente de todas as outras vezes em que eu lutei com a minha cabeleira.

Fotos e, o que eu gosto de chamar de .gifs da mente, borbulhavam na minha mente e eu me lembrei das diferentes maneiras que eu cuidava os meus cabelos: com tranças, escova progressiva, tinturas e tratamentos. Eu pensei sobre o fato de nunca ter tido uma chance de aprender a cuidar dos meus cabelos, de verdade, porque crescer com meninas que tinham apenas que escovar os longos fios lisos, me treinou a pensar que isso era tudo o que eu precisava fazer também.

Com o silêncio, a minha mente conseguiu, na verdade, lembrar da época que eu tinha amado ou ferrado meus cabelos, criando um clima de meditação que eu nunca tinha tido antes. Porque meditação é reflexão, certo? E, sem distrações, a minha mente fez isso.

E, em vez de ficar cegamente fazendo este ritual de torcer os cabelos a cada duas semanas - às vezes eu nem sequer olhava o que eu estava fazendo - comecei a simplificar meus pensamentos e eu só pensava em mim, minha beleza (natural e aprimorada) e eu mesma.

Então, agora eu faço todas as minhas gracinhas de beleza sem me distrair e isso não só me ajuda a ficar pronta em termos tradicionais, mas as vibrações tranquilas dão ao meu dia um começo sem stress, sem as preocupações de estar esquecendo alguma coisa ou pegar as chaves erradas. Penso sobre o dia que se aproxima, nos dias anteriores e como posso melhorar algumas coisas e manter algumas coisas simplesmente como são.

Já não tenho que me preocupar sobre qual música está tocando ou o quão alto ela está. Já não tenho que arranjar rapidamente o meu cabelo e dizer que está apresentável. Porque você sabe o que dizem sobre a tartaruga e a lebre... e eu não me importo em ser a tartaruga se isso significa acalmar os meus nervos em frangalhos, muitas vezes.

E com isso eu digo: vida longa ao batom, para todas vocês.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- Como a meditação pode ajudar seus filhos a dormir melhor

- 5 segredos das pessoas dotadas de incrível força interior