NOTÍCIAS
05/01/2015 09:34 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Venda de discos cai e streaming de música dispara nos EUA

Yuliya Libkina/Flickr

Os serviços de streaming de música, como Spotify e Deezer, têm motivos para começar o ano comemorando. Segundo relatório da empresa de pesquisa de mercado Nielsen, o streaming cresceu 54% nos Estados Unidos em 2014, um alento para o mercado musical do país, que sofreu a queda de 11,2% na venda de discos físicos e digitais.

Segundo o site da revista Entertainment Weekly, o ano terminou com 164 bilhões de execuções via streaming, serviço no qual o assinante paga uma taxa mensal para ter acesso a um catálogo variado, sem a necessidade de fazer download de álbuns e canções. A venda de discos digitais, que exige seu download, caiu 9% nos Estados Unidos no período.

O ano também foi proveitoso para artistas e gravadoras que lançaram discos no formato vinil, que viu um crescimento de 52% em vendas, com a comercialização de 9,2 milhões de unidades. É o melhor ano para o formato desde que a Nielsen começou a monitorar o mercado fonográfico americano, em 1991.

No mercado brasileiro, o streaming também já domina a venda digital de música há alguns anos. Ainda não existem dados consolidados sobre o desempenho do setor no ano passado, mas os últimos números divulgados pela Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD), em parceria com a Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês), mostram que em 2013 o mercado digital de música cresceu 22,39% no país.

Com isso, o faturamento do setor atingiu 136,4 milhões de reais. O valor se refere a receitas com downloads, toques de chamada de celular e, principalmente, serviços de streaming, o carro chefe do crescimento do comércio digital de música.

LEIA TAMBÉM

- 11 dicas (simples) para você tirar o máximo proveito do Spotify

- Retrospectiva 2014: O ano das mulheres na música e dos jovens no cinema