NOTÍCIAS
05/01/2015 13:06 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Campeão mundial amador de boxe, Everton Lopes vira profissional e fica fora do Rio 2016

EVELSON DE FREITAS / ESTADÃO CONTEÚDO

Foi-se embora mais uma esperança de medalha para o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio 2016. Campeão mundial amador nos meio-médios-ligeiros, Everton Lopes assinou contrato com a Golden Boy, promotora do lendário boxeador mexicano Oscar De La Hoya, tornando-se, agora, um pugilista profissional - assim, não poderá mais competir com atletas amadores.

Baiano de 26 anos, Everton já não vinha treinando com a seleção brasileira, em São Paulo. O site da Golden Boy já tem um perfil dele, com uma imagem do pugilista usando a camiseta da promotora. A empresa é a mesma que cuida da carreira do medalhista olímpico Yamaguchi Falcão.

"Ele não nos posicionou. A gente sabe porque saiu no site da Golden Boy. Ele não nos notificou ainda", explicou Mauro Silva, presidente da Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe). A entidade espera que Everton comunique a decisão nos próximos dias, porque precisaria se reapresentar para treinar até quarta-feira.

Everton foi campeão mundial em Baku (Azerbaijão) em 2011 e, no mesmo ano, faturou a medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (México). Nos Jogos Olímpicos de Londres (Grã-Bretanha), caiu diante de um cubano logo na estreia. Já no Mundial de Almaty (Casaquistão), ficou com o bronze. Ele também é o atual campeão pan-americano.

Sua última participação pela seleção brasileira foi no Tammer Tournament, competição importante disputada na Finlândia em outubro de 2014, onde conquistou o ouro. O desfalque para a seleção olímpica é imensurável porque Everton era grande esperança de medalha - ocupava o segundo lugar do ranking mundial.

Seu substituto natural, porém, está pronto para o desafio. Mesmo reserva, Joedison Teixeira, o Chocolate, vinha colecionando títulos. De 2012 para cá, venceu o Pan-Americano Júnior (2012), o Leszek Drogsz Memorial (2014, na Polônia), os Jogos Mundiais de Combate (2013, na Rússia) e o Festival Olímpico Pan-Americano (2014, no México).

Everton é o terceiro grande pugilista que o boxe amador do Brasil perde nesse ciclo olímpico. Os irmãos Yamaguchi e Esquiva Falcão, respectivamente bronze e prata em Londres, já lutam entre os profissionais.