MUNDO
02/01/2015 17:02 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Bolívia vai declarar feriado para receber o Rally Dakar

CRIS BOURONCLE via Getty Images
Bolivian President Evo Morales gives a press conference in La Paz on October 13, 2014 a day after being voted for a third term in office. Morales will be sworn into office on January 22, 2015 and will stay in office until 2020. AFP PHOTO/CRIS BOURONCLE (Photo credit should read CRIS BOURONCLE/AFP/Getty Images)

A Bolívia vai declarar feriado nacional para receber os mais de 600 competidores que participarão da edição de 2015 do Rally Dakar, que começará no próximo domingo na Argentina e atravessará o território boliviano para ser concluído no dia 17 de janeiro no Chile, informaram as autoridades locais.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, antecipou que vai declarar feriado em 12 de janeiro. O seu ministro do Trabalho, Daniel Santalla, disse que a medida busca estimular o turismo.

Este será o segundo ano em que a competição passará pela Bolívia. No ano passado somente passaram motos e quadriciclos, mas neste ano também vão participar carros e caminhões.

Em sua travessia na Bolívia nos dias 10, 11 e 12 de janeiro, os competidores passarão pelo Salar de Uyuni, que fica a 420 quilômetros ao sul de La Paz e é o maior mar de sal do mundo, situado a 3,7 mil metros acima do nível do mar.

O Dakar, um dos ralis mais difíceis e mais famosos do mundo, contará com 660 pilotos e copilotos de 53 países. Eles vão viajar 9 mil quilômetros. O Brasil contará com cinco participantes: Guilherme Spinelli e Youssef Haddad formarão uma dupla entre os carros, Jean Azevedo disputa a prova entre as motos, Eduardo Sachs será navegador do português Ricardo Leal entre os carros, e André Suguita competirá nos quadriciclos.