NOTÍCIAS
27/12/2014 17:46 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Passe Livre: Prefeitura de São Paulo concede tarifa zero para mais de meio milhão de alunos

Estadão Conteúdo

A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta sexta-feira, 26, a concessão do passe livre estudantil nos ônibus a todos os alunos da rede pública e também aos da rede privada de baixa renda. Estudantes de nível superior com bolsa do ProUni, financiamento estudantil (Fies), cotas raciais ou sociais também estarão isentos da tarifa.

No total, serão 505 mil alunos beneficiados pela medida - 360 mil da rede pública e 145 mil da particular, de acordo com o governo municipal. A isenção de tarifa foi anunciada à tarde pelo prefeito Fernando Haddad (PT) em sua conta no Twitter.

Nem Haddad nem Alckmin forneceram informações sobre quais alterações serão feitas no orçamento para tornar a gratuidade viável. "(Os recursos) sempre vêm da tarifa e do tesouro. Nós assumimos a gratuidade. Quem hoje tem gratuidade? Os idosos, pessoas com deficiência. Estudante e professor têm meia-entrada. Essa meia-entrada o governo paga", afirmou Alckmin.

Na última semana, os prefeitos de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra também haviam anunciado a medida em conjunto. Nesses municípios, a passagem será gratuita para todos os estudantes, das redes pública e privada.

Nesta sexta-feira, a prefeitura de SP anunciou que as tarifas de ônibus serão reajustadas de R$ 3 para R$ 3,50 a partir de 6 de janeiro. O reajuste não será aplicado para usuários de bilhete único mensal, semanal ou diário, que hoje custam R$ 140, R$ 38 e R$ 10.

Apertem os cintos, que não para por aí...

Não é apenas a tarifa do ônibus que vai aumentar a partir do dia 6 de janeiro. A Prefeitura também divulgou nesta sexta-feira, 26, que a bandeirada do táxi vai ficar 9,8% mais cara em 2015. O valor para o táxi comum passará de R$ 4,10 para R$ 4,50. O mesmo reajuste será aplicado para a modalidade táxi amigão, válido das 20 às 6 horas, rádio-táxi e táxi acessível, oferecido para pessoas com mobilidade reduzida.

A alta não atinge a tarifa quilométrica, que continua sendo de R$ 2,75, nem a tarifa horária, que permanece em R$ 33. Segundo a gestão Fernando Haddad (PT), a hora não foi reajustada por causa da liberação das faixas exclusivas de ônibus para os táxis ocupados. De acordo com a Prefeitura, o último reajuste de bandeirada de táxi na capital foi feito em janeiro de 2011.