NOTÍCIAS
25/12/2014 14:22 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Nova teoria quântica radical diz que outros universos afetam o nosso

Wikimedia Commons

Universos paralelos há muito são um dos pilares da ficção científica. Mas segundo uma nova teoria radical de mecânica quântica, publicada em 23 de outubro na Physical Review X, outros universos são reais – e existem em grande número.

Além disso, os cientistas por trás da teoria dizem que os outros universos exercem uma ligeira força repulsiva sobre o nosso universo – e essa força é o que torna o reino quântico tão bizarro.

“Qualquer explicação de fenômenos quânticos vai ser esquisita, e a mecânica quântica padrão não oferece nenhum tipo de explicação – ela só faz previsões para experimentos de laboratório”, disse por email ao Huffington Post Howard Wiseman, físico da Universidade Griffith, de Brisbane, na Austrália, e um dos criadores da nova “teoria de muitos mundos interativos”. “Nossa nova explicação ... é que existem mundos paralelos comuns que interagem de forma particular e sutil.”

A teoria é uma nova guinada na chamada “interpretação de muitos mundos” da mecânica quântica, que tem origem nos anos 1950. Como explicou Wiseman em um comunicado por escrito:

“Na conhecida ‘interpretação de muitos mundos’, cada universo se ramifica em vários novos universos cada vez que é feita uma medição quântica. Todas as possibilidades se realizam, portanto – em alguns universos, o asteroide que matou os dinossauros não atinge a Terra. Em outros, a Austrália foi colonizada pelos portugueses. Mas os críticos questionam a realidade desses outros universos, pois eles não influenciam em nada o nosso universo. Desse ponto de vista, nossa abordagem dos ‘muitos mundos interativos’ é completamente diferente, como indica o nome.”

Wiseman e seus colaboradores – Michael Hall, também da Universidade Griffith, e Dirk-Andre Deckert, da Universidade da Califórnia em Davis, dizem que sua teoria pode ter implicações importantes no campo da dinâmica molecular, que é crítica para o entendimento das reações químicas.

Será que ela também sugere que os humanos possam um dia interagir com outros universos?

“Não é parte de nossa teoria...”, disse Wiseman à Motherboard. “Mas a ideia de interações com outros universos não é mais pura fantasia.”

O que os outros especialistas acham da nova teoria?

Lawrence Krauss, físico teórico da Universidade do Arizona em Tempe, disse ao Huffington Post ser “cético”. E um físico popular da República Tcheca escreveu em seu blog que, apesar de Wiseman e seus colaboradores terem “conseguido apresentar algumas ideias que são ao menos ligeiramente originais”, o paper é “outro exemplo do fato de que tais esforços são uma empreitada sem esperanças e um enorme desperdício de tempo”.

Mas Charles Sebens, filósofo da física na Universidade de Michigan em Ann Arbor disse à Nature que estava empolgado com a abordagem de Wiseman e seus colaboradores.

“Eles fazem análises interessantes de fenômenos particulares como energia de ponto zero e tunelamento quântico”, disse ele à revista. “Acho que, juntos, eles fizeram uma boa apresentação de uma ideia nova e empolgante.”

Claramente não há consenso. Mas, se Wiseman está chateado com as respostas variadas à teoria, ele não dá sinais disso.

“Alguns estão completamente felizes com suas próprias interpretações da mecânica quântica, e é pouco provável que os façamos mudar de ideia”, disse ele por email. “Mas acredito que há muitos que não estão felizes com as interpretações atuais, e são esses que vão se interessar pela nossa. Espero que o interesse seja suficiente para que haja novos trabalhos, pois ainda há muitas perguntas sem resposta.”

Enquanto isso, a última palavra deveria ficar provavelmente com o físico teórico e ganhador do Nobel Richard Feynman (1918-1988), que disse certa vez: “Acho que posso afirmar com segurança que ninguém entende mecânica quântica”.

LEIA MAIS

- Os ETs estão chegando? NASA reúne cientistas e teólogos para se preparar

- Astrônomos descobrem ENORME buraco negro em galáxia-anã

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.