NOTÍCIAS
23/12/2014 17:47 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Procurador-geral da República nega fornecer nomes de políticos citados em delações premiadas ao governo

BRASÍLIA (Reuters) - O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou o pedido do governo para que revelasse os nomes de políticos citados nos depoimentos de delação premiada da operação Lava

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou o pedido do governo para que revelasse os nomes de políticos citados nos depoimentos de delação premiada da operação Lava Jato, que investiga um suposto esquema bilionário de corrupção envolvendo a Petrobras.

A informação foi dada nesta terça-feira pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

O governo da presidente Dilma Rousseff, representado pelo ministro Cardozo, buscou primeiramente obter acesso a todo o conteúdo dos depoimentos de delação premiada.

Diante da negativa da Polícia Federal e da Procuradoria Geral da República, Cardozo disse que solicitou a Janot apenas os nomes dos políticos mencionados pelos depoentes na delação premiada, o que foi negado pelo procurador-geral.

Na segunda-feira, Dilma disse a jornalistas que pretende dar posse a seus novos ministros em 1º de janeiro, mas que consultaria Janot para saber se pode haver indiciamento de algum dos possíveis integrantes de seu ministério por envolvimento no suposto esquema de corrupção na Petrobras.

"Eu vou perguntar: 'há algo contra fulano que me impeça de nomeá-lo?' Só isso. Eu não quero saber o que ele não pode me dizer. Eu consultarei o Ministério Público mais uma vez, para qualquer pessoa que eu for indicar", afirmou a presidente durante a coletiva.

Resta saber se Janot aceitará responder "sim" ou "não" à presidente da República.

Com informações da Reuters

LEIA TAMBÉM

- Joaquim Barbosa diz que intenção de Dilma é sinal de degradação institucional

- Ex-diretor Paulo Roberto Costa citou 28 políticos em esquema de corrupcão na Petrobras