NOTÍCIAS
23/12/2014 21:43 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Com caras novas e velhos conhecidos, presidente Dilma Rousseff anuncia 13 novos ministros para o governo em 2015

Montagem/Estadão Conteúdo

A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou de maneira oficial, no início da noite desta terça-feira (23), os nomes de 13 novos ministros para o governo federal. Negociações de arrastaram durante semanas e vários entraves junto à base aliada tiveram de ser superados, mas todos os nomes já vinham sendo especulados nos últimos dias.

** Saiba quem entra e quem saí, de acordo com cada ministério: **

- Educação: entra Cid Gomes -> sai Henrique Paim;

- Agricultura, Pecuária e Abastecimento: entra Kátia Abreu -> sai Neri Geller;

- Minas e Energia: Eduardo Braga -> sai Edison Lobão;

- Aviação Civil: entra Eliseu Padilha -> sai Moreira Franco;

- Ciência, Tecnologia e Inovação: entra Aldo Rebelo -> sai Clélio Campolina Diniz;

- Esporte: entra George Hilton -> sai Aldo Rebelo;

- Cidades: entra Gilberto Kassab -> sai Gilberto Occhi;

- Turismo: permanece Vinícius Laje;

- Políticas de Promoção da Igualdade Racial: entra Nilma Lino Gomes -> sai Luiza Bairros;

- Defesa: entra Jaques Wagner -> sai Celso Amorim;

- Portos: entra Edinho Araújo -> sai Cesar Borges;

- Pesca e Aquicultura: Helder Barbalho -> sai Eduardo Lopes;

- Controladoria-Geral da União: entra Valdir Simão (Controladoria-Geral da União) -> sai Jorge Hage;

O PMDB, principal partido aliado de Dilma, ficou com seis ministérios (Minas e Energia, Aviação Civil, Agricultura, Portos, Pesca e manteve o Turismo), enquanto o PT está, até aqui, com apenas um (Defesa). O PSD ganhou um ministério (Cidades), assim como o PCdoB (Ciência e Tecnologia) e o Pros (Educação), pasta esta que desde o início da era PT no governo federal, desde 2003, sempre ficou com algum parlamentar petista. O PRB ganhou o Ministério do Esporte e o PTB a pasta do Desenvolvimento.

Dos 39 ministérios, 22 ainda não tiveram seus titulares anunciados oficialmente pela presidente para o segundo mandato. Antes do anúncio desta terça-feira, Dilma já havia indicado Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa para o Planejamento, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) para o Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e confirmado a permanência do atual presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, no cargo.

Os demais ministros da próxima gestão de Dilma devem ser definidos até a próxima segunda-feira (29). A posse dos novos ministros será realizada no dia 1º de janeiro.

(Com Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM

- Dilma diz que consultará Ministério Público sobre nomes de novos ministros e enfurece oposição e Joaquim Barbosa

- Dilma Rousseff anuncia mais ministros na semana que vem

- Câmara aprova reajustes para presidente, ministros, parlamentares e procurador