NOTÍCIAS
22/12/2014 20:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Retrospectiva 2014: 11 escritores que nos deixaram

Montagem

Em 2014, a humanidade ficou mais pobre. Grandes nomes da literatura nos deixaram (e o mês de julho foi excepcionalmente doloroso para os amantes de bons livros, com o falecimento de cinco mestres das letras).

O Brasil Post relembra os escritores que nos deixaram neste ano:

  • Gabriel García Márquez
    Gabriel García Márquez
    ASSOCIATED PRESS
    Nascimento: 6 de março de 1927
    Morte: 17 de abril de 2014

    O colombiano Gabriel José de la Concordia García Márquez foi criado por seus avós maternos, que o influenciaram como escritor com as histórias que contavam. O avô, coronel Nicolás Marquez, veterano da guerra civil da Colômbia, narrava seus feitos militares, e a avó, Tranquilina Iguarán, contava fábulas ao pequeno neto. O menino cresceu e foi laureado com o Nobel de Literatura em 1982, depois de publicar livros como O Amor nos Tempos do Cólera e Cem Anos de Solidão — este último é considerado um marco no realismo mágico na literatura latino-americana. Gabo, que foi diagnosticado com demência em 2012, morreu de pneumonia, aos 87 anos.
  • Maya Angelou
    Maya Angelou
    YORK COLLEGE ISLGP/FLICKR
    Nascimento: 4 de abril de 1928
    Morte: 28 de maio de 2014

    Durante mais de 80 anos, a escritora, poeta e ativista de St. Louis escreveu sete autobiografias, foi atuante no movimento de direitos civis e trabalhou para Martin Luther King Jr., recitou um poema na inauguração presidencial de Bill Clinton em 1993, tornou-se uma professora universitária e recebeu a Medalha Presidencial da Liberdade em 2011. Nas próprias palavras dela: "Eu sou uma mulher, fenomenalmente. Mulher fenomenal, sou eu". Angelou morreu aos 86 anos.
  • Rose Marie Muraro
    Rose Marie Muraro
    TASSO MARCELO/Estadão Conteúdo
    Nascimento: 11 de novembro de 1930
    Morte: 21 de junho de 2014

    A intelectual Rose Marie Muraro nasceu praticamente cega. Para sobreviver neste mundo, tornou-se uma mulher forte, dona de opiniões próprias. Sempre contestadora e eterna combatente dos valores conservadores, a socióloga foi uma das pioneiras do movimento feminista no Brasil. Sua obra tem mais de 40 títulos, entre eles Sexualidade da mulher brasileira e Por uma erótica cristã. Muraro morreu aos 83 anos, vítima de câncer na medula óssea.
  • Ivan Junqueira
    Ivan Junqueira
    TASSO MARCELO/Estadão Conteúdo
    Nascimento: 3 de novembro de 1934
    Morte: 3 de julho de 2014

    Tem Ivan Junqueira na China. E na Rússia. E na Dinamarca. Poucos nomes na literatura — sobretudo na crítica — conseguem chegar próximo à unanimidade que foi o trabalho do poeta e crítico carioca. Com livros como O Grifo, A Sagração dos Ossos e O Outro Lado, Junqueira tem um papel central na literatura brasileira contemporânea. O ocupante da cadeira nº 37 da Academia Brasileira de Letras faleceu aos 79 anos, devido à falência múltipla dos órgãos.
  • Nadine Gordimer
    Nadine Gordimer
    RADU SIGHETI/REUTERS
    Nascimento: 20 de novembro de 1923
    Morte: 13 de julho de 2014

    A sul-africana Nadine Gordimer sempre foi uma intransigente defensora dos direitos humanos e se tornou uma das vozes mais poderosas contra a injustiça do apartheid. Muitas de suas histórias enfocam temas como amor, ódio e amizade sob as pressões do sistema de segregação racial que terminou em 1994, quando Nelson Mandela se tornou o primeiro presidente negro da África do Sul. Seus romances e contos refletiam o drama da vida humana e das emoções em uma sociedade sacrificada por décadas de domínio de uma minoria branca. Pela obra, Gordimer recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1991. Ela faleceu enquanto dormia, aos 90 anos.
  • João Ubaldo Ribeiro
    João Ubaldo Ribeiro
    LUCIANO DA MATTA/AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO
    Nascimento: 23 de janeiro de 1941
    Morte: 18 de julho de 2014

    Autor de clássicos como Sargento Getúlio e Viva o povo brasileiro”, o baiano João Ubaldo Ribeiro foi eleito para a ABL em 1993. Quinze anos depois, recebeu o Prêmio Camões, maior honraria da literatura em língua portuguesa. Ele faleceu aos 73 anos, vítima de uma embolia pulmonar.
  • Rubem Alves
    Rubem Alves
    MARCO BARBOSA/ESTADAO CONTEUDO
    Nascimento:15 de setembro de 1933
    Morte: 19 de julho de 2014

    O mineiro Rubem Alves descobriu-se escritor enquanto inventava histórias para Raquel, sua filha. Entre seus livros para crianças, destacam-se A volta do pássaro encantado e A pipa e a flor. Apesar do trabalho na literatura infantil, sempre apontou como referências literárias T. S. Eliot, Friedrich Nietzsche, Albert Camus, José Saramago, Jorge Luis Borges, Fernando Pessoa, Adélia Prado e Manoel de Barros. O escritor faleceu aos 80 anos, por causa de insuficiência respiratória resultante de uma pneumonia. Ele deixou um legado de mais de 160 obras, entre elas Ostra Feliz Não Faz Pérola, que levou o escritor a ficar em segundo lugar no Prêmio Jabuti de 2009, na categoria Contos e Crônicas.
  • Ariano Suassuna
    Ariano Suassuna
    TASSO MARCELO/ESTADÃO CONTEÚDO
    Nascimento:16 de junho de 1927
    Morte: 23 de julho de 2014

    "Um cangaceiro manso, um palhaço frustrado, um frade, um mentiroso, um professor, um cantador sem repente e um profeta." Assim se descrevia Ariano Suassuna. O dramaturgo, romancista e poeta paraibano sempre foi um intelectual engajado: filho de presidente da Paraíba nos anos 1920, tinha a política correndo nas veias. Tal engajamento é visto, por exemplo, na peça O Auto da Compadecida, de 1955, sua obra mais conhecida. Ariano morreu no dia 23 de julho de 2014, três dias depois sofrer um acidente vascular cerebral. Tinha 87 anos.
  • Simin Behbahani
    Simin Behbahani
    BEHROUZ MEHRI VIA GETTY IMAGES
    Nascimento: 20 de junho de 1927
    Morte: 19 de agosto de 2014

    A iraniana Simin Behbahani nasceu numa família de escritores e aprendeu em casa a amar a literatura. Sua mãe, Fakhr Ozma Arghon, foi uma destacada feminista e escritora; seu pai, Abbas Jalili, também foi um renomado escritor e editor de jornal. Aos 14 anos, publicou seu primeiro livro de poesias. Não mais parou de escrever. A "Leoa do Irã", como ficou conhecida, foi indicada duas vezes ao Nobel de Literatura (1999 e 2002). Faleceu aos 87 anos, em decorrência de problemas cardíacos e respiratórios.
  • Manoel de Barros
    Manoel de Barros
    JONNE RORIZ/ESTADÃO CONTEÚDO
    Nascimento: 19 de dezembro de 1916
    Morte: 13 de novembro de 2014

    Manoel Wenceslau Leite de Barros era advogado, fazendeiro e poeta nascido às margens do rio Cuiabá. Ele escreveu 18 livros de poesia, além de livros infantis e relatos autobiográficos. Recebeu 13 prêmios literários, entre os quais dois Jabutis (um em 1989, com O Guardador de Águas e em 2002, com O Fazedor do Amanhecer). Ao longo dos 74 anos de carreira, teve 28 obras publicadas no Brasil, além de três livros publicados em Portugal, França e Espanha. Morreu devido à falência múltipla dos órgãos.
  • P.D. James
    P.D. James
    WIKIMEDIA COMMONS
    Nascimento: 3 de agosto de 1920
    Morte: 27 de novembro de 2014

    A inglesa Phyllis Dorothy James é considerada uma das escritoras que mais influenciaram o gênero do romance de mistério. Não é por menos: por mais de uma década, ela trabalhou no Ministério do Interior, onde atuou no Departamento de Ciências Forenses e Criminais. Entre os prêmios que ela recebeu, estão três Silver Dagger, um Diamond Dagger e um Grand Master Award. Também foi distinguida com a Ordem do Império Britânico e recebeu o título de Baronesa James de Holland Park. Faleceu aos 94 anos.
Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost