NOTÍCIAS
19/12/2014 18:23 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

#ForaBolsonaro: Apoiadores pregam boicote a médicos negros no Facebook; ativistas fazem ‘corte' simbólico no Rio

Montagem/Facebook e Estadão Conteúdo

Eleito com mais de 464 mil votos, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) vem recebendo muitas críticas pela polêmica com a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), mas também ganhou diversos apoios de seus eleitores e simpatizantes nas redes sociais – em geral, pessoas de viés conservador e de direita. Mas há quem passe do ponto.

Uma prova disso foi uma postagem em uma comunidade de apoio a Bolsonaro no Facebook, intitulada “Apoiamos Jair Bolsonaro contra a hipocrisia politicamente correta”. O grupo mostrou uma enorme dose de intolerância ao pregar o boicote a “todo médico negro”, com direito a uma hashtag para encampar tal “movimento”.

“Você é livre para boicotar um médico negro, pois na constituição o direito a vida, e a legítima defesa é absoluto, acima de tudo”, diz um trecho da postagem. Para justificar o injustificável, o texto ainda alega que “Dilma e Lula, quando tiveram câncer, não foram se tratar com cotistas”, afinal, o autor da postagem diz que “os inclusos por cotas raciais são os mais incompetentes”.

“Negros ficaram ofendidos? Bom vai reclamar com o governo. Se quer solução pra acabar com o boicote é pressionar o governo pra derrubar as cotas raciais, seja através de petições e manifestações, a campanha esta ai, é uma campanha consciente, curta e compartilhe (sic)”, conclui o texto, com os seus erros de concordância, pontuação e discernimento.

Postagem usa política de cotas como 'justificativa' para boicote a médicos negros (Reprodução/Facebook)

Como era de se supor, a repercussão negativa foi tanta que a comunidade acabou deletada do Facebook. Não se sabe se tal boicote aos médicos negros chegou ao conhecimento de Jair Bolsonaro, mas sabe-se de longa data que ele é um veemente crítico ao que gosta de chamar de “indústria das costas do País”.

“Castração simbólica” no Rio

Bolsonaro não se cansa de falar sobre o seu projeto que tramita no Congresso Nacional, aquele que prevê a castração química de estupradores. Aproveitando o tema, ativistas do movimento feminista Bastardxs realizaram um protesto nesta sexta-feira (19), no Posto 5 em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Lá, com os seios de fora, Sara Winter e Bia Spring se inspiraram na ‘malhação de Judas’ de um boneco, com o rosto de Bolsonaro devidamente colado nele, e fizeram uma “castração simbólica” do deputado, com o mote de que é preciso “cortar o mal pela raiz”. Literalmente.