NOTÍCIAS
18/12/2014 22:07 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Paulo Coelho oferece 100 mil dólares para exibir 'A Entrevista'

ASSOCIATED PRESS
Brazilian writer Paulo Coelho poses during a photocall for the presentation of the movie

Assim como George R.R. Martin, outro escritor entrou na luta pela exibição do filme A Entrevista. Paulo Coelho, autor com mais de 165 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, ofereceu hoje (18) 100 mil dólares à Sony Pictures Entertainment pelos direitos de exibição do longa. Em sua conta de Twitter, ele escreveu:

"Ofereço à Sony Pictures Entertainment 100 mil pelos direitos de A Entrevista. Postarei o filme no meu blog, gratuitamente. Por favor entre em contato comigo pela Sony Pictures do Brasil."

Uma segunda mensagem foi publicada em seguida:

"A oferta à Sony se mantém até sexta, às 12 horas. Vocês recuperam 0,01% do orçamento e eu posso dizer 'não' às ameaças terroristas."

A comédia de ação A Entrevista teve seu lançamento cancelado pela empresa devido a ameaças de atentados feitas pelo grupo norte-coreano Guardiões da Paz (Guardians of Peace, ou GOP). Eles também são responsáveis por hackear os sistemas do estúdio e divulgar informações confidenciais.

No longa, Dave Skylark (James Franco) e seu produtor Aaron Rapoport (Seth Rogen) trabalham no Skylark Tonight, um programa de TV tão popular que é apreciado até por Kim Jong-Un. Quando descobrem que o ditador é fã do show, eles marcam uma entrevista com ele em Pyongyang, mas os planos muda quando a CIA os recruta para assassinar o líder comunista.

Em entrevista ao UOL, Paulo Coelho explicou o motivo da proposta. "Eu acho uma ameaça a qualquer artista em qualquer lugar do mundo", disse. "Na minha juventude acompanhei o caso de Salman Rushdie [autor do polêmico livro Versos Satânicos]. Os editores suspenderam, mas depois resolveram publicar. Foi um horror. Teve editor assassinado, teve livraria queimada, mas a liberdade de expressão foi mantida. A Sony abriu um precedente terrível."