NOTÍCIAS
11/12/2014 19:26 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Revista científica aceita pesquisa que diz apenas 'Me tire da sua p*#%@¨de lista de emails'

Reprodução

"Me tire da sua p*#%@¨de lista de emails!": esta é a única frase, repetida mais de oitocentas vezes, presente em uma pesquisa aceita pela revista científica International Journal of Advanced Computer Technology.

Na esperança de parar de receber spam da publicação em sua caixa de entrada, o cientista da computação australiano Peter Vamplew, resolveu submeter um estudo cheio de gráficos, diagramas e intertítulos dizendo apenas "Me tire da sua p*#%@¨de lista de emails".

Para sua surpresa, a revista respondeu dizendo que revisores haviam lido a pesquisa e julgado o material "excelente", contou Vamplew ao jornal Guardian. Vamplew não aceitou a proposta.

O pior de tudo é que o "Me tire da sua p*#%@¨de lista de emails" nem era dele. O estudo foi escrito há quase dez anos por David Mazières e Eddie Kohler para recusar convites insistentes para conferências.

Como relata o site Vox, episódios do tipo estão cada vez mais frequentes.

O mercado de revistas "predatórias", cujo rigor científico é zero, está cada vez maior.

Na ânsia de rechearem seus currículos, cientistas iniciantes recorrem a elas pagando taxas para verem seus estudos publicados.

O problema: revistas não-confiáveis atrapalham pesquisadores sérios e tornam a ciência menos confiável.

LEIA MAIS

- Anticoncepcionais estão ligados a alterações na estrutura cerebral, diz ciência

- Estamos muito perto de conseguir clonar um mamute. Mas será que devemos?