NOTÍCIAS
10/12/2014 19:13 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Reeleitos, Geraldo Alckmin e Marco Feliciano têm contas reprovadas pelo TRE-SP

Montagem/Estadão Conteúdo

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) reprovou nesta quarta-feira (10) as contas da campanha deste ano do governador Geraldo Alckmin (PSDB), reeleito ainda no primeiro turno. O motivo seriam problemas nas prestações de conta apresentadas ao tribunal.

Em sessão realizada na sede do TRE-SP, os magistrados votaram por cinco a um contra a prestação de contas do tucano, que teria falhas nas prestações parciais realizadas ao longo do processo eleitoral.

A primeira parcial, a campanha de Alckmin não teria mencionado cerca de R$ 900 mil, enquanto outros R$ 9 milhões não apareceram na segunda parcial. Os dois valores constam apenas na declaração final do tucano.

Ao jornal Folha de S. Paulo, o diretório paulista do PSDB informou que a reprovação das contas trata-se “de meta questão formal que já foi justificada” e que tudo será devidamente esclarecido nos próximos dias. O partido nega qualquer omissão de informações.

Ainda segundo o jornal, o advogado da campanha do governador, Ricardo Penteado, irá recorrer da decisão junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que não impede a diplomação de Alckmin para assumir o novo mandato em 2015.

Feliciano também reprovado

O TRE-SP também reprovou as contas de 15 deputados estaduais e seis deputados federais eleitos. Entre os alçados ao Legislativo federal aparece o deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que obteve mais de 400 mil votos no pleito deste ano. Segundo o tribunal, há problemas no trecho da prestação de contas que trata dos “recursos de origem não identificada”.

Cabe recurso desta decisão em âmbito estadual.

LEIA TAMBÉM

- Ex-servidor diz que pagava 'pedágio' na Assembleia Legislativa de SP

- Bolsonaro, Feliciano e Dr. Rey: reunião da ‘diversidade' dá ao Brasil essência da direita em convenção do PSC (VÍDEO)