NOTÍCIAS
02/12/2014 22:08 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Pesadelo de Dilma na base aliada, Eduardo Cunha é lançado pelo PMDB candidato a presidente da Câmara dos Deputados

Montagem/Estadão Conteúdo

O líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), lançou oficialmente, nesta terça-feira (2), a sua candidatura à Presidência da Câmara com discurso de independência e cercado pelos parlamentares do PMDB e do Solidariedade (SD).

Quem esteve à frente do evento foi o atual presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), que pediu votos para o seu colega de partido, a quem se referiu como "futuro presidente da Câmara".

"A todos que reconhecem o nosso trabalho na busca da altivez do Legislativo, sem demérito aos outros candidatos que possam surgir, estou indicando voto para Eduardo Cunha", disse.

Responsável por uma das maiores dores de cabeça da presidenteDilma Rousseff no primeiro semestre, Cunha defendeu uma candidatura que não será “nem de oposição nem de submissão”.

"A candidatura vai defender o direito do governo de governabilidade, porque ele foi eleito para isso, mas vai ser respeitosa com o direito da oposição para fazer o seu papel de debate, como prevê o regimento [interno da Câmara]", disse.

Eduardo Cunha também quer resgatar o orgulho dos parlamentares. "Tem de perder a vergonha de dizer que é deputado nos estados", disse.

Fim de especulações

Eduardo Cunha é o primeiro candidato a se lançar oficialmente. Além do PMDB e do SD, ele disse contar com o apoio do PSC. Outros candidatos poderão surgir até a véspera da eleição, marcada para 1º de fevereiro de 2015.

O candidato explicou que o ato público desta terça-feira serve para buscar mais apoio e acabar com especulações sobre a possibilidade de desistência diante de composições políticas futuras.

"É a demonstração cabal de que a candidatura é irremovível; aconteça o que acontecer, ela será levada à votação em 1º de fevereiro", declarou.

Ex-líder do PP, o deputado Arthur Lira (AL) também participou do ato e disse que grande parte da legenda deve votar em Cunha, mesmo sem apoio oficial.

O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) também participou, mas negou o apoio do partido. "Vim como eleitor em comício, para conhecer as propostas", brincou.

Prefeitos também participaram do evento, que teve direito à distribuição de material de campanha.

::: Para ler todas as propostas de Cunha, acesse o site da candidatura dele à presidência