NOTÍCIAS
01/12/2014 18:38 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

'Sommelier de camisinhas'? Como são feitos os preservativos com sabor?

Reprodução

Morango. Uva. Canela. Caipirinha. Bacon. O que esses sabores têm em comum? Todos já deram um gosto diferente à camisinha.

Como ninguém acha agradável degustar um pedaço de látex, os fabricantes começaram a perceber uma demanda por um preservativo que pudesse ser utilizado não só como um instrumento de proteção, mas também como um recurso a mais para o prazer.

Apesar de muita gente ainda torcer o nariz, os preservativos com sabor já abocanharam uma fatia considerável do mercado. Denise Santos, gerente de marketing da Prudence, estima que elas correspondam a ao menos 20% das vendas totais da marca.

Mas, afinal, quem define os sabores das camisinhas?

"Na verdade a maioria deles vêm dos consumidores", diz Santos. De acordo com a executiva, não é raro receber sugestões de pratos de comida. Como estrogonofe e macarronada não combinam com sexo, as sugestões têm de ser filtradas e submetidas a pesquisas de mercado.

A maioria das marcas brasileiras importa camisinhas de grandes fábricas como a malaiaKarex. Então, sabores mais convencionais como uva, morango e limão já têm fórmula pronta.

Mas sabores personalizados têm de ser desenvolvidos do zero, misturando essências e flavorizantes. Dificilmente um modelo novo é desenvolvido em menos de dois anos.

"Enviamos um briefing para a fábrica, pegamos amostras e fazemos testes para ver se o paladar está coerente", comenta Santos. No caso da caipirinha, lançada durante a Copa do Mundo, o produto foi feito e refeito três vezes até se chegar a uma fórmula definitiva.

De um modo geral, o látex é impregnado com óleos essenciais (os mesmos usados na indústria alimentícia) e sacarose para adoçar. Exatamente como um chiclete.

Apesar de o mercado brasileiro oferecer opções malucas como a camisinha picante de canela, da Olla, a de maçã-verde, da Jontex, e a de refrigerante de cola, da Prudence, no exterior existem variedades muito mais inusitadas.

Os chineses, por exemplo, adoram camisinhas sabor milho. Nos Estados Unidos, um fabricante já produziu preservativos sabor bacon, mas o produto saiu de linha. Na Holanda, há o sabor maconha.

Embora camisinhas com sabor pareçam algo prosaico, elas podem ser grandes aliadas da prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Na Etiópia, por exemplo, preservativos de café são uma peça-chave na luta contra a Aids, como relata reportagem do Guardian. Como lá a bebida é uma unanimidade nacional, o produto fez um sucesso estrondoso.

Veja, abaixo, alguns tipos "diferentes" de camisinha:

Galeria de Fotos Camisinhas com sabores curiosos Veja Fotos