NOTÍCIAS
30/11/2014 14:32 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02

Conferência do Clima de Lima: por que ela é tão importante?

STR via Getty Images
Peruvian President Ollanta Humala (L) shakes hands with UNFCCC Executive Secretary Christiana Figueres, during the ceremony of the formal handover to the United Nations of the grounds in Lima where the UN COP 20/CMP 10 20th session of the Conference of the Parties and the 10th session of the Conference of the Parties, serving as the Meeting of the Parties to the Kyoto Protocol) will be held from 1 to 12 December, on November 27, 2014. Standing between them is Peruvian Enviroment Minister Manuel Pulgar. AFP PHOTO/STR (Photo credit should read STR/AFP/Getty Images)

Depois do fracasso do Protocolo de Kyoto e das sucessivas reuniões anuais da ONU sobre o clima, há alguns anos os paises-membros definiram 2015 como data-limite para um acordo. A reunião de Lima é a última antes dessa fronteira: se ela não preparar adequadamente o caminho e a reunião de Paris 2015 fracassar, mais de 20 anos de negociações podem ser irremediavelmente perdidos.

Esse processo começou na Eco 92, no Rio, quando todos os 196 membros da ONU assinaram a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas. Ao invés de estabelecer obrigações legais, esse acordo delegava a conferências posteriores a tarefa de criar protocolos, que então seria adotados compulsoriamente por todos os países. Por isso ela é chamada "convenção-quadro", ou "framework" em inglês.

A partir de 1995, todo ano há uma nova reunião dos países-membros, conhecida como COP, ou "conferência das partes", buscando fechar esse acordo. Em 1997, na reunião de Kyoto, foi firmado o primeiro desses protocolos, que teria validade entre 2005 e 2012. Só 55 países ratificaram o acordo. EUA e China, os dois maiores poluidores, não o fizeram.

Em 2011 os países-membros do tratado estabeleceram a conferência COP-21 de Paris, em 2015, como data limite para fechar um novo protocolo. Por isso a COP-20, que acontece neste mês de dezembro em Lima é tão importante: cabe a ela desenhar o caminho dos países, nos próximos 12 meses, para alcançar o acordo climático.