NOTÍCIAS
27/11/2014 15:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Instabilidade clínica faz Pelé ir para unidade especial

gabriel.bitar/Flickr

O Hospital Albert Einstein divulgou nesta quinta-feira (27) mais um boletim com a atualização do estado de saúde de Pelé, que está internado desde a última segunda-feira (24) por conta de uma infecção urinária. O Rei do Futebol continua no hospital e a nota divulgada nesta tarde não apresentou novidades sobre previsão de alta.

De acordo com a equipe médica responsável pelo ex-atleta, ele apresentou instabilidade clínica e foi transferido. "O Hospital Israelita Albert Einstein informa que o paciente Edson Arantes do Nascimento (Pelé) segue internado com instabilidade clinica. Para receber os melhores cuidados, foi transferido para ser monitorado em uma unidade de cuidados especiais. O Hospital fornecerá boletim assim que houver nova informação", aponta o boletim.

Na última quarta-feira, o hospital divulgou que Pelé seguia internado em estado estável e tomava antibióticos para curar a infecção urinária. Seus assessores, no entanto, demonstravam otimismo e chegaram a dizer que ele deveria ter alta em "um ou dois dias". Com o boletim desta quinta, fica a dúvida em relação a uma possível alta na sexta.

Atleta profissional de 1956 a 1977, Pelé sempre foi um exemplo de jogador de futebol que passou a carreira sem ter um grave problema físico. Em julho de 1999, passou por uma cirurgia no joelho direito para a retirada de parte do menisco. Ele estava passando férias com a família nos Estados Unidos e teve dores ao correr em um parque. Dois dias depois, passou pela intervenção em Nova York.

Em 2011, Pelé foi submetido a uma cirurgia de catarata. Poucos dias depois foi à final da Copa Libertadores, na qual o Santos derrotou o Peñarol e ficou com o título continental. Entusiasmado com a conquista, o eterno camisa 10 da Vila Belmiro pegou o técnico Muricy Ramalho pela mão e correu pelo gramado do Pacaembu logo após o fim do jogo. Como estava em recuperação, teve de ser reavaliado pelos médicos.

No ano seguinte, teve de se submeter a uma cirurgia no quadril. Ele sofria com muitas dores por causa de uma artrose. Após 1 hora e 30 minutos de cirurgia, foi retirada a cabeça do fêmur e implantada uma prótese. Pelé, de 74 anos, ainda faz fisioterapia, pois não recuperou totalmente os movimentos.