NOTÍCIAS
24/11/2014 21:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Camponeses invadem fazenda no RS em protesto contra agronegócio e Kátia Abreu, cotada para Ministério da Agricultura (VÍDEO)

A Mídia Ninja gravou o vídeo acima para detalhar como foi a ocupação de uma fazenda por camponeses e militantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) no fim de semana. Foi um protesto contra o agronegócio e a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO), representante da bancada ruralista no Congresso Nacional e convidada para ser ministra de Agricultura pela presidente Dilma Rousseff.

Cerca de dois mil jovens participaram do ato na fazenda Pompilho, na BR-158, que liga Palmeira das Missões (RS) ao oeste de Santa Catarina.

A propriedade só tinha o cultivo de milho transgênico. Os militantes arrancaram mudas e espalharam pelo terreno sementes agroecológicas.

De acordo com o site do MST, os militantes condenam o "envenenamento" provocado pelo agronegócio, com uso de agrotóxicos e culturas transgênicas.

Essas ações acabam "destruindo os recursos naturais e a saúde dos trabalhadores e de toda a população", na opinião de um dos coordenadores da juventude do MST, Raul Amorim.

A escolha de Kátia Abreu vem sendo alvo de críticas dos movimentos sociais e mesmo de setores da imprensa que defendem o PT.

O jornalista Leandro Fortes, da Carta Capital, publicou o texto "Golpe contra camponeses", afirma que a possível ministra "tem se dedicado a investir sobre os trabalhadores sem-terra".

"[Ela] acusa-os de serem financiados ilegalmente para invadir terras Brasil afora", critica.

Fortes acrescenta que Kátia Abreu advoga "em causa própria", pois seria beneficiária de ações de desocupação de "extensas e férteis terras do cerrado de Tocantins".

Seria uma reforma agrária que atenderia aos "amigos do rei", cita o jornalista.