NOTÍCIAS
22/11/2014 04:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Metroviários de São Paulo se unem contra a homofobia após agressão de funcionário do Metrô e seu namorado

Divulgação/Facebook

Mais de dez dias se passaram desde que um casal gay foi agredido dentro do metrô de São Paulo. O metroviário Danilo Ferreira Putinato e o bancário Raphael Martins foram atacados por cerca de 15 rapazes em um trem da Linha 1-Azul, sentido Jabaquara, no dia 9 deste mês.

"Nos empurraram, nos chutaram, nos jogaram para fora do trem", contou Danilo, em seu perfil no Facebook.

Foi uma brutal demonstração de intolerância a um momento de amor compartilhado por dois homens.

"Eu e meu namorado não estávamos 'de pegação', mas apenas andando de mãos dadas, abraçados, trocando carinhos e beijos — como qualquer casal. E, mesmo que estivéssemos de pegação, isso não justificaria qualquer tipo de agressão", desabafou Raphael, também pelo Facebook.

Em repúdio às agressões que deixaram hematomas físicos e emocionais no casal, os colegas de profissão de Danilo encamparam uma ação em prol de tolerância e respeito no metrô.

Os metroviários da capital paulista fizeram cartazes com a mensagem "Danilo e Raphael, estamos com vocês". É um protesto contra a homofobia e a favor de todo tipo de amor.

Aderiram equipes de diversas linhas e estações, conforme mostram as fotos compartilhadas na página Metroviários pela Base.

Galeria de Fotos casamento Veja Fotos

A mensagem de Danilo, reproduzida pela agência Estadão Conteúdo há duas semanas, parece ter sido ecoada pelos metroviários:

"O diferente não é aceito. Não só os gays sofrem com isso [agressões], mas as lésbicas, transexuais, e todos os outros que ousam ser 'diferentes'. Enquanto não existir uma campanha ainda mais ampla, e o ódio contra nós não for criminalizado, mais casos como este vão acontecer"

Parabéns aos funcionários do metrô de SP por iniciar essa campanha contra a homofobia!