NOTÍCIAS
15/11/2014 17:25 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Sonda que pousou em cometa para de funcionar, baterias acabam depois de enviar dados

Por Irene Klotz (Reuters) - Uma nave robô pioneira parou de funcionar no sábado, depois de enviar por rádio os resultados do seu primeiro, e provavelmente último, lote de experiências científicas

Handout via Getty Images
IN SPACE: (EDITORIAL USE ONLY) This November 13, 2014 handout photo provided by the European Space Agency (ESA) shows the surface of the 67P/Churyumov-Gerasimenko comet as seen from the Philae lander, which landed on the comet's surface yesterday. ESA, despite some malfunctions on the Philae craft, successfully landed it on the comet on November 12, 2014 making it the first man-made craft to ever land on a comet. The Philae lander, launched from the Rosetta probe, is a mini laboratory that will gather data on the comet. (Photo ESA via Getty Images)

Uma nave robô pioneira parou de funcionar no sábado, depois de enviar por rádio os resultados do seu primeiro, e provavelmente último, lote de experiências científicas feitas na superfície de um cometa, disseram os cientistas.

As baterias a bordo da sonda Philae da Agência Espacial Europeia, acabaram desligando a sonda do tamanho de uma máquina de lavar roupa, depois de 57 horas de uma missão ousada e em grande parte improvisada.

Levada a bordo da nave-mãe Rosetta, que está em órbita, a Philae flutuou até a superfície do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko na quinta-feira, mas não conseguiu posicionar os arpões de ancoragem.

Ao entrar em contato com a superfície inesperadamente dura do cometa, ela saltou de volta para o espaço duas vezes e depois parou num local ainda desconhecido, a cerca de um quilômetro de distância do seu alvo original.

Antes de desligar, a Philae desafiou as probabilidades e enviou pelo rádio, para a Terra, os resultados dos experimentos científicos realizados para análise.

Sua última tarefa foi a de se reposicionar para que quando o cometa for em direção ao sol, as baterias da Philae possam se recarregar a suficiente para a continuação da missão.

“Talvez quando estivermos mais perto do sol, teremos iluminação solar suficiente para 'acordar' a sonda e restabelecer a comunicação”, disse o gerente de operações da nave espacial Stephan Ulamec em um comunicado.