NOTÍCIAS
14/11/2014 20:22 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:46 -02

5 programas imperdíveis do 22º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade (até domingo)

"Se você se veste bem... Você é gay. Se faz glúteos... é gay. Se gosta de arte... Gay. Tem pêlos? Gay. Fala francês? Gay. Leve iogurte pro escritório. Gay. Gay. Gay!"

O provocante comercial do 22º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade que você assiste acima dá bem o recado: "Se todo mundo é gay, o Mix Brasil é pra todo mundo".

Entre os dias 13 e 23 de novembro, um dos maiores festivais do país invade os espaços culturais da cidade de São Paulo com uma programação extremamente diversa e completa: filmes, teatro, música, leitura dramática, performances, dança e intervenções com óticas diferentes da cultura LGBT.

Como a programação é bastante extensa, este editor assistiu trailers, conversou com amigos e deu aquela vasculhada na internet pra preparar uma lista de programas imperdíveis. Nesta primeira lista você saberá nossas escolhas até domingo (16).

Tem alguma dica?! Me envie lá no Twitter.

Sexta/14

Curtas: Heterodoxos

No CCSP - 20h30 - R$ 1,00 (Horário alternativo: Domingo, 16 - 21h)

Seleção de filmes intrigantes e divertidos, gostei bastante da diversidade que vi nos trailers e sinopses que compõe esse bloco de curtas. Destaques para o curta espanhol "Malas vibraciones" (trailer acima) que conta a história de um homem que descobre um vibrador no armário de sua mulher, e o brasileiro "O Jogo".

Vibe: Abrir a cabeça e socializar conversando sobre os temas

Bijou (EUA, 1972)

No CCSP - 21hrs - R$ 1,00 (Horário alternativo: Domingo, 23 - 21h)

Parte da mostra Pioneiros do Cinema Homoerótico do festival, o filme Bijou é um clássico do diretor Wakefield Poole, considerado o avô do pornô gay. Na história um peão de obra que vai a um clube underground e experimenta os prazeres do sexo gay.

Vibe: Safadeza vintage, talvez um bom esquenta pra balada mais tarde

Sábado/15

Blood

No CCSP - 21h - R$ 1,00 (Horário alternativo: Domingo, 16 - 20h)

Parte do repertório do famoso Royal Opera House, Blood foi criado pelo bailarino brasileiro Jean Abreu, sendo estas as primeiras apresentações fora da Inglaterra. Sozinho no palco, Jean dança imerso em projeções que lembram fluidos corporais, como urina e sangue. O espetáculo foi bastante elogiado por jornais britânicos e deve ter alta procura nas duas apresentações.

Vibe: Arranjar um marido com bom gosto e curtir o visual

Domingo/16

Curtas - Competitiva/Brasil

No CCSP - a partir de 16h30 - R$ 1,00

Coleção de curtas brasileiros de todos os estilos e gostos. Segundo os organizadores foram inscritos mais de 300. Entre os destaques está o doc "A Ala" (trailer acima), do jornalista Fred Bottrel. No documentário, o diretor explora a 'ala gay' de um presídio, na época uma das experiências pioneiras no sistema prisional brasileiro. Os detentos falam dos desafios do dia a dia por lá, e os depoimentos - como se vê no trailer, são surpreendentes e emocionantes. O curta está na seção das 18h30.

Vibe: Um tarde/noite imerso na cultura LGBT brasileira em doses calculadas

Favela gay (Brasil, 2014)

No Espaço Itaú de Cinema - Augusta - 20hrs - R$ 27,00 (inteira)

"Favela Gay" mostra como é a vida da comunidade LGBT nas favelas do Rio de Janeiro. O filme foi super elogiado por mostrar como os homossexuais se inserem em um universo que mistura o tráfico, as igrejas evangélicas e os vizinhos. Fala sobre temas como homofobia, aceitação da família e no trabalho.

Vibe: Expandir os horizontes e tirar a cabeça do seu umbigo

Veja a programação completa no site do festival