NOTÍCIAS
11/11/2014 17:03 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Mídia chinesa censura vídeo em que presidente russo, Valdimir Putin, cobre ombro da primeira-dama da China com xale

Getty Images

Gentileza ou quebra de protocolo?

A mídia chinesa censurou, na noite desta segunda-feira (10) uma cena protagonizada pelo presidente russo, Vladmir Putin, e pela primeira-dama chinesa, Peng Liyuan.

Durante um evento da Apec (Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico), Putin colocou um xale nos ombros de Peng e, causou furor nas redes sociais do país.

Segundos depois, da interação com o presidente russo, a primeira-dama chinesa - que foi uma famosa cantora no país e tem uma vida política bem atuante ao lado do presidente - deixou a peça de lado e a trocou por um casaco trazido por um assistente.

O ato, que para muitos parece trivial, para outros pareceu uma quebra de protocolo.

Segundo a CNN, inundou as redes sociais com a hashtag “Presidente Putin pôs um casaco em Peng Liyuan”, combinação das palavras usadas pelo narrador da cerimônia para descrever o momento.

Poucos instantes depois, segundo a CNN, os links que levavam ao vídeo e às imagens foram desativados, provavelmente por causa dos controles de internet da China. Não foram poucas as brincadeiras sobre as “reais” intenções de Putin, divorciado e com fama de sedutor entre as chinesas.

Segundo o Guardian, a rápida censura não só mostrou a “eficiência” da polícia chinesa, como também evidenciou as diferenças culturais quando fala-se sobre o que é considerado um comportamento aceitável em público.

O incidente não foi comentado nem pela TV estatal, nem pelo presidente Xi Jinping, que na hora conversava com o presidente americano, Barack Obama.

Li Xin, diretor do Centro de Estudos Russos e Centro-asiáticos do Instituto de Xangai, afirmou que o gesto do russo foi apenas uma gentileza, e não caracteriza uma gafe diplomática.

“É tradição em um país frio como a Rússia que um homem, como sinal de respeito às mulheres, ajude-as e vestir e a tirar seus casacos”, afirmou.

Faltou uma selfie, hein Putin?