MUNDO
31/10/2014 10:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

12 técnicas que as corporações usam para manipular o consumidor

Você pode não perceber, mas todos os tipos de empresas têm desenvolvido táticas destinadas a incentivá-lo a usar o seu cartão de crédito.

O que eles sabem que nós não sabemos? Os poderes corporativos reconheceram há muito tempo que os seres humanos não são criaturas racionais, mas sim seres emocionais que podem ser, facilmente, manipulados sem aviso prévio. E, infelizmente, isso é especialmente verdadeiro quando você está fazendo compras.

Então, como exatamente estão jogando com você? Analisamos diferentes mensagens ocultas, mudanças sutis de design e músicas especiais que as lojas usam para fazer com que você gaste mais.

1. Heineken e o Amazon têm umas carinhas sorridentes colocadas de forma subliminar em seus logos para que você se sinta mais feliz com as suas marcas

Pode passar despercebido, mas os três ‘es’ da Heineken foram projetados para dar a impressão que estão sorrindo, disse John Clarke, diretor de comunicação global externo da empresa, ao The Huffington Post em um email. Os rostos felizes dão uma "aparência mais amigável", ele disse. Da mesma forma, a seta amarela que liga A a Z no Amazon foi criada pela Agência de Design Turner Duckworth para parecer um sorriso no rosto, de forma que a gigante de e-commerce "se beneficie ao parecer um pouco mais humana", de acordo com o site da agência.

Clarke fez referência a uma explicação sobre os ‘es’ que estão no logotipo da Heineken que Freddy Heineken, neto do fundador da empresa, que mais tarde se tornaria o presidente e CEO, deu em 1958 quando o design da cerveja foi alterado:

"Se nós fazemos as pessoas sorrirem, daremos a impressão de sermos muito mais amigáveis".

2. Cereais e outras marcas usam mascotes humanos para fazer você sentir como se conhecesse o produto

O que um tigre gregário ou um leprechaun corajoso tem a ver com o seu café da manhã? Absolutamente nada, mas pesquisas descobriram que formamos ligações emocionais quando as marcas são antropomorfizadas com personagens. Você não está comprando cereal (ou papel higiênico, pneus, seguros, etc), você está comprando um amigo!

"Eles ajudam a definir a marca e muitas vezes reforçam aspectos-chave de produtos, além de contribuírem para a personalidade da marca", disse Mike Siemienas, gerente de marca e relações com a mídia da General Mills, que produz o ‘Lucky Charms’, ao HuffPost quando questionado sobre a estratégia por trás do uso de mascotes.

3. Da mesma forma, os personagens nas caixas de cereais olham para baixo, para fazer contato visual com as crianças

De acordo com um estudo recente do Laboratório de Alimentação e Marca da Universidade de Cornell, dois terços dos personagens que aparecem nas caixas de marcas de cereais populares infantis olham para baixo. Os personagens, de fato, fazem contato visual com crianças pequenas nos corredores dos supermercados para amplificar a lealdade à marca, de acordo com os pesquisadores.

A equipe pediu aos participantes da pesquisa que olhassem duas caixas de Trix - uma com um coelho olhando para baixo e outra com ele olhando em linha reta. Eles descobriram que as chamadas "marcas de confiança" aumentaram em 16 por cento e o "sentimento de conexão com a marca" aumentou 28 por cento, quando as pessoas olhavam para a versão onde o coelho faz contato visual.

4. A IHOP (Internatinal House of Pancakes) redesenhou seu menu para fazer com que você peça mais

A IHOP, recentemente, percebeu que poderia melhorar seus menus, que eram confusos e cheios de informações. A cadeia de panquecas redesenhou seu menu para torná-lo mais claro, usando imagens que dão água na boca, tabelas e categorias separadas por cores.

A ideia era criar um menu que seus clientes digerissem mais facilmente, o que poderia levar as pessoas a pedirem mais comida, de acordo com um recente vídeo da Bloomberg. Aparentemente, a estratégia está funcionando: A cadeia de restaurantes viu um aumento nas vendas desde Junho de 2013.

5. A Bloomingdale’s e outras lojas usam cheiros específicos para inspirá-lo a gastar

Já reparou que os shoppings têm cheiro de canela quando os feriados se aproximam? Acontece que um cheiro agradável pode ajudá-lo a gastar mais - e voltar a gastar de novo. A Bloomingdale’s tem intencionalmente o cheiro de coco na seção de vestuário de praia, conforme a Revista Time relatou em 2013, e lojas como Hugo Boss buscam apoio de empresas profissionais para proporcionar aromas exclusivos às suas marcas.

6. Os supermercados colocam frutas e legumes na frente para persuadi-lo a comprar junk food mais tarde

Não é coincidência que você comece a sua experiência de compra na seção desses produtos em praticamente todos os supermercados. Eles foram projetados dessa forma para que você entre no mercado se sentindo bem sobre suas escolhas saudáveis ​​e não se sinta tão mal ao comprar todos os biscoitos, batatas fritas e garrafas de refrigerante mais tarde.

7. A J.C. Penney subiu os preços de modo que parecesse que os clientes estavam recebendo um grande desconto

No ano passado, a Reuters confirmou que a loja J.C. Penney estava usando uma estratégia chamada "mark-up to mark down" (subir o preço para depois diminui-lo) para atrair clientes e aumentar as vendas. E sim, a tática era exatamente o que parece: a cadeia falsamente inflava os preços dos itens e depois baixava por meio de descontos nas vendas para fazer essas "pechinchas" parecerem só um pouco melhor.

8. A Apple espera para lhe enviar os recibos dos downloads do iTunes, para que você não se sinta mal com sua compra por impulso da nova faixa de Iggy Azalea

Já se arrependeu de um impulso de compra imediatamente após fazê-lo online? A Apple reduz essa culpa atrasando os recibos de uma compra, no iTunes ou na App Store desde algumas horas até dias, de acordo com a Wired. Que dissimulados!

9. Bares e restaurantes não vão incluir o cifrão, assim você esquecerá que está gastando

Uma pesquisa da Escola de Administração Hoteleira de Cornell descobriu que as pessoas que jantam fora gastam mais dinheiro quando o preço não é acompanhado de um cifrão na frente dele.

10. Lojas seguram você ao permitir que toque seus produtos antes da compra

Um estudo de 2010 feito por economistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia descobriu que os compradores pagam até 50 por cento a mais por bens se puderem tocá-los antes. Assim, enquanto compras online podem parecer mais convenientes, você vai gastar mais dinheiro se você tem contato direto com o produto em uma loja tradicional.

11. Lojas vão tocar músicas suaves para você permanecer em seu interior e criar vínculos emocionais com as suas marcas

Um shopping asiático viu um aumento nas compras por mulheres grávidas depois que "começou a tocar músicas suaves, da época em que estas mulheres tinham nascido", escreveu o especialista em marketing Martin Lindstrom em seu livro Brandwashed: Os Truques de Marketing que as Empresas Usam para Manipular as Nossas Mentes. De acordo com Lindstrom, as mulheres disseram que a música do shopping continuou a ter um efeito calmante sobre os seus filhos, mesmo depois que estes nasceram.

Outro estudo, na Escócia, descobriu que os clientes em um restaurante gastam mais dinheiro quando a música lenta está tocando, ao invés de música rápida. Deve ser por isso que o Starbucks toca jazz e supermercados tocam música ambiente lenta.

12. Músicas dançantes incentivam compras rápidas e compras por impulso

Enquanto isso, tocar música rápida, dançante, vai fazer com que as pessoas passem pelas lojas rapidamente e façam compras por impulso, de acordo com um estudo publicado no European Journal of Scientific Research.

Leia mais:

Você vai ficar chocado com estas imagens de DESPERDÍCIO

Quantos litros de cerveja o mundo bebe?