NOTÍCIAS
23/10/2014 12:49 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

6 momentos em que você realmente não se deu o crédito que merecia

Andrew Rich via Getty Images

Caso ninguém tenha lhe dito isso hoje ainda: você é demais.

Sério mesmo.

Talvez você não perceba, mas alguns dos seus comportamentos ou reações naturais podem fazer grande diferença para outros e para você mesmo. É fácil achar que certas atitudes são bobas – como saber ouvir ou fazer alguém rir – porque você não considera que essas coisas sejam muito importantes. Mas a verdade é que essas pequenas ações podem ter um grande impacto.

Se você estiver precisando de algo para lhe animar, queremos te relembrar das vezes em que você trouxe um pouco de alegria e bem-estar ao mundo:

Aquela noite em que você levou sorvete para a amiga que tinha acabado de levar um fora.

Largar tudo quando o seu amigo está em apuros não faz de você simplesmente um bom amigo, mas oferece benefícios psicológicos para as duas partes envolvidas também. Pesquisas sugerem que passar tempo com amigos próximos pode reduzir as tensões, e ao ajudar às pessoas – dando apoio a quem realmente precisa – pode lhe fazer mais feliz também. Oferecer um ombro para o amigo chorar tem mais valor do que você imagina.

A manhã de segunda quando você fez os seus colegas chorarem de rir.

O começo da semana de trabalho é sempre uma chatice, então você provavelmente nem imagina o quanto as pessoas apreciarão essa atitude. Além disso, pesquisas mostram que dar risada melhora o astral – algo que é bastante necessário quando você tem que ler 300 emails do final de semana. For a isso, funcionários mais felizes apresentam menos risco de sofrer a sídrome de burnout. Então, em nome de todos os seus colegas de trabalho, obrigado.

A tarde quando você ficou ouvindo o desabafo do seu amigo durante horas.

Com tantas distrações digitais nos cercando hoje, ter a total atenção de alguém durante uma conversa infelizmente tornou-se mais uma qualidade rara do que algo que já esperamos de um amigo. E seus amigos e familiares apreciam a sua habilidade de bom ouvinte mais do que você imagina.

"O bom ouvinte autentica os sentimentos dos outros”, disse o especialista no assunto Paul Sacco, Ph.D., professor adjunto do curso de Serviço Social da University of Maryland School, em entrevista ao HuffPost Healthy Living. "Isso mostra à pessoa que o que ela está falando faz sentido”. Fazer a outra pessoa sentir-se bem só por ouvir o que ela tem a dizer? Parabéns por ser uma pessoa sensacional!

Quando você compartilhou a sua opinião sincera durante uma conversa difícil.

Quando você é uma pessoa autêntica, você não tem medo de travar um diálogo sincero, porém gentil, com pessoas com as quais você realmente se importa – e essa qualidade lhe ajuda a desenvolver amizades genuínas. "[Um] amigo de verdade – alguém em quem você realmente confia – eles conseguem lhe dizer exatamente o que estão pensando. Pessoas que são abertas e diretas são os tipos de amigos mais importantes que podemos ter”, disse Robert Rowney, D.O., psiquiatra e diretor da unidade de disfunções do humor da Cleveland Clinic mood disorder unit, em entrevista ao HuffPost Healthy Living.

Além do mais, a agressividade passiva não é uma forma saudável de lidar com um conflito. Parabenize a si mesmo por ter tido a coragem de expressar a sua sinceridade de forma construtiva. Essa atitude é louvável.

Aquela vez em que você não alcançou o seu objetivo.

Geralmente nos criticamos impiedosamente, isso não é novidade para ninguém – e acontece principalmente quando falhamos em alguma área. Mas como o autor Mike Liguori explicou em um post do HuffPost, na verdade as nossas falhas são essenciais para alcançarmos o sucesso. Entenda melhor:

Nem tudo que nos propomos a fazer terá um resultado bem-sucedido. Toda vez que arriscarmos ou sairmos da nossa zona de conforto, aprenderemos algo que nos ajuda a crescer e termos mais sucesso em tentativas futuras. Quando Thomas Edison finalmente inventou a lâmpada, ele declarou “Eu não fracassei mil vezes. Eu simplesmente descobri mil maneiras em que a lâmpada não funcionava”.

Os fracassos servem também para trazer clareza. A princípio, quando algo não dá certo, a nossa tendência é lamentar sobre a dificuldade da situação e a nossa incapacidade de fazer aquilo dar certo. Quando a poeira assenta e conseguimos mudar o nosso foco para os prós e contras da experiência, essa clareza nos dá uma outra perspectiva da situação. Ela nos permite identificar o que deu errado e imediatamente pensamos no próximo projeto, conscientes dos erros do passado ou refletindo sobre a experiência anterior.

Aquela tarde preguiçosa de domingo quando você não levantou do sofá.

Talvez você tenha se sentido a pessoa menos produtiva ou mais ociosa do mundo, mas vamos te contar um segredo: não tem problema. Na verdade, o ritmo frenético das nossas vidas nos levam a usar tanto a palavra “ocupado”, que isso está nos prejudicando. O nosso bem-estar depende de termos alguns momentos de ócio também – se não, podemos prejudicar os nossos relacionamentos e o nosso desempenho no trabalho.

Você precisa se dar um pouco de crédito por não estar ocupado vez ou outra. Como escreveu Agapi Stassinopoulos em um post do HuffPost blog, precisamos acabar com a “exaltação da correria que a nossa cultura faz, de fazer as coisas dormindo pouco, nos dando a sensação de que estamos ficando para trás na corrida e temos que alcançar os outros – porque no final das contas, não existe nenhuma corrida a não ser aquela na qual nós decidimos correr”.

Este artigo foi originalmente publicado pelo The Huffington Post e foi traduzido do inglês.