NOTÍCIAS
22/10/2014 18:15 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:42 -02

Dilma critica Armínio Fraga e Fernando Henrique Cardoso e adverte caso Aécio vença: 'Está em jogo o salário mínimo'

Montagem/Estadão Conteúdo

A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) voltou a criticar o governo de Fernando Henrique Cardoso, após caminhada com militantes em Uberaba (MG).

"Nós sabemos quem no passado desempregou, quem é que conseguiu bater o recorde de desemprego em 2002, o governo de Fernando Henrique Cardoso", disse.

Na reta final da campanha, a presidente comparou os 12 anos de governo do PT (quatro dela e oito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva) com os oito anos de governo do PSDB com Fernando Henrique, acusando a administração tucana de promover arrocho salarial e desemprego.

LEIA MAIS:

- Datafolha: Otimismo com economia leva Dilma a 47%, contra 43% de Aécio

- Dilma Rousseff cresce entre os eleitores da classe C e do Sudeste (DATAFOLHA)

A presidente ainda voltou a dizer que o segundo turno da eleição presidencial será decisivo para o salário mínimo.

"Está em jogo o salário, o salário mínimo, que o candidato deles a ministro da Fazenda acha alto demais, que tem de reduzir. Nós não vamos permitir nem admitir que o Brasil volte para trás", afirmou Dilma, ao lado do governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT).

Ainda de acordo com Dilma, ao contrário do PSDB, os governos do PT têm como foco as classes menos favorecidas, abrindo oportunidades para todos e realizando investimentos em áreas como saúde, educação e moradia.

A estratégia da campanha petista é desconstruir a imagem de seu adversário, por meio de críticas a exemplos da gestão do PSDB, como a do FHC no Brasil e a deGeraldo Alckmin em São Paulo.

Na segunda-feira (20), parte do programa eleitoral da petista foi dedicada à falta de água no estado paulista.

"Primeiro é o sofrimento do povo paulista, que não precisava estar passando por isso. O segundo motivo é fazer chegar até você o modelo de gestão tucano. "Um modelo que o candidato Aécio Neves (PSDB) não só defende, como representa”, disse a presidente.

(Com informações da Reuters)