NOTÍCIAS
20/10/2014 20:44 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Dilma ataca gestão do PSDB na falta de água em São Paulo: 'Um modelo que o candidato Aécio não só defende, como representa'

Montagem/Estadão Conteúdo

De olho nos votos do maior colégio eleitoral do país, a campanha da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) atacou a gestão de Geraldo Alckminna crise de abastecimento de água no estado de São Paulo, em seu programa eleitoral gratuito, exibido na tarde desta segunda-feira (20).

“É um problema que poderia ter sido evitado, de acordo com os próprios técnicos da Sabesp, se obras tivessem sido feitas anteriormente”, ressaltou a presidente.

Dilma ainda justificou por que dedicou a metade do seu programa a discutir o assunto.

“Primeiro é o sofrimento do povo paulista, que não precisava estar passando por isso. O segundo motivo é fazer chegar até você o modelo de gestão tucano. "Um modelo que o candidato Aécio Neves (PSDB) não só defende, como representa”, afirmou.

A presidente também enfatizou o auxílio financeiro do governo federal para combater a falta de água no estado.

“Estamos liberando pela Caixa Econômica Federal, com juros subsidiados, 1,8 bilhão para construção do sistema de produção de água São Lourenço.”

Em resposta à propaganda, Aécio elogiou a política adotada por Alckmin de dar bônus aos consumidores que economizaram água e criticou o que chamou de "aparelhamento" da Agência Nacional de Águas, responsável por regulamentar o setor.

"Se não tivesse o governo do PT servido a outros fins, nós lembramos bem, quais foram as indicações e os critérios adotados para ocupar cargos na ANA, ela poderia ter sido uma parceira maior do governador [Alckmin]", afirmou Aécio em campanha na cidade de Caeté (MG).

O tucano também atribuiu a crise ao governo federal.

(Com informações da Reuters)