NOTÍCIAS
20/10/2014 20:09 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

9 motivos pelos quais dividir a cama pode estar atrapalhando seu sono (e como consertá-lo)

Uruvyel/Flickr
Qué sensación más hermosa...

Casais que não dormem o suficiente têm maior probabilidade de brigar. Mas e se o motivo pelo qual você não está dormindo direito for a sua cara-metade?

Como se não existissem outros sabotadores sorrateiros do sono — bife no jantar, estamos falando de você —, o simples fato de dividir a cama com alguém pode estar atrapalhando o seu descanso.

Eis algumas das reclamações mais frequentes, e como resolver o problema de uma vez por todas.

Ele está viciado no botão "Soneca" do despertador

Seu parceiro de cama está apertando o botão soneca porque provavelmente está com o sono atrasado, diz Ilene Rosen, diretora do programa do sono da Universidade da Pensilvânia e integrante do conselho da Academia Americana do Sono. Ele acha que cinco minutos a mais – e depois só mais outros cinco – vão fazer uma enorme diferença. Mas ele provavelmente se sentiria muito melhor se dormisse ininterruptamente os últimos 10 ou 20 (ou 30) minutos finais da noite, em vez de ter esse período do sono fragmentado em pequenas porções. Isso se explica em parte pelo fato de que nossos períodos mais longos de sono REM (sigla em inglês para fase de movimentos rápidos dos olhos) acontecem justamente de manhã; ser acordado repetidas vezes pelo despertador nesta fase do sono nos deixa mais grogues do que se tivéssemos acordado em outra fase.

Quando você faz isso numa cama compartilhada, o efeito é duplo, pois o sono da outra pessoa também é perturbado, diz Rosen. “O ideal é combinar a hora de dormir e de acordar de cada um”, diz ela. “Mesmo que não seja a mesma hora para ambos... as rupturas serão minimizadas.”

Ela assiste TV na cama

O comprimento de onda azul emitido pelas telas – seja da TV, de um tablet ou até mesmo de um smartphone – faz nossos relógios internos acharem que é hora de despertar, diz Rosen. “Se uma das pessoas está no iPhone e a outra está acordada, com certeza haverá interferência.”

“Combinar que a cama é apenas para sexo e para dormir é um bom mote”, diz ela. “Quando é hora de ir para a cama, é hora de ir para a cama”, não de ficar no Netflix ou no Instagram.

Ele ronca

É um dilema clássico, que leva muita gente a dormir em quartos separados – mesmo casais que estão felizes dividindo a cama. Mudanças no estilo de vida, como perder peso, evitar o álcool antes de dormir e deitar-se de lado, podem ajudar a diminuir o ronco mas esse problema não deve ser considerado um mero inconveniente. “Roncar pode ser um sinal de doenças do sono, e isso deve ser levado a sério”, diz ela. Sugira que o parceiro fale com o clínico geral dele a respeito de uma eventual consulta com especialistas, “particularmente se o ronco for alto demais a ponto de você querer dormir em outro quarto ou se o problema vem se agravando com o tempo”.

Ela rouba os cobertores

Os melhores ambientes para dormir são escuros, silenciosos e frios, com lençois e cobertores confortáveis – e nada pior do que ficar descoberto no meio da noite. “Se você mora com um ladrão de cobertores, sinta-se à vontade para ter o que precisa do seu lado da cama”, diz Rosen. Isso talvez signifique usar um jogo extra de cobertores, afirma ela.

Ele gosta de conchinha; você, não

Para alguns, dormir abraçado é reconfortante e ajuda no sono. Para outros, pode ser sufocante. Se os comportamentos de vocês forem incompatíveis nesse departamento, é melhor “ter uma conversa sincera”, diz Rosen. “Diga algo como: ‘Vou ser um parceiro melhor se dormir melhor’”, diz ela. Uma sugestão é fazer um pouco de cada: ficar abraçados por alguns minutos e depois dormir separados.

Ela dorme tarde (ou acorda cedo); você, não

De novo, reservar o quarto somente para dormir ou para fazer sexo é a melhor opção. Quem acorda cedo deve desligar rápido o despertador e se arrumar fora do quarto, diz Rosen. Assim, o ambiente continua escuro e silencioso para quem ficou dormindo. Igualmente, quem vai para a cama mais tarde tem de evitar qualquer tipo de atividade que possa acordar o parceiro que já no décimo sono. Esse tipo de diferença de horários não significa falta de intimidade, disse previamente ao HuffPost Healthy Living Phillip Gehrman, diretor clínico do Programa de Medicina Comportamental do Sono da Universidade da Pensilvânia.

Ele não consegue dormir

Se seu parceiro fica rolando na cama, é provável que logo, logo você vá estar também. Por mais que você queira ajudar, essa é com ele. “Se você está na cama há 15 ou 20 minutos e não [dormindo ou fazendo sexo], deveria se levantar e até mesmo sair do quarto”, diz Rosen. Pode parecer contraintuitivo, mas é um dos pilares do tratamento da insônia, afirma ela – e ajuda os dois. “Isso ajuda o insone a não se sentir frustrado e permite que quem está na cama continue a dormir.” Quem não consegue dormir deveria meditar, ouvir música ou ler algo relaxante ou então procurar um tipo de atividade calma, com uma luz moderada, até sentir sono e tentar dormir de novo.

Ela se mexe demais durante a noite

Sua parceira está se debatendo na cama e você a acorda – ninguém merece mais uma cotovelada nas costelas, afinal de contas. Ela estava sonhando com uma briga – o mesmo sonho que a fez te chutar a canela duas noites atrás. “‘Representar’ o que acontece no sonho pode ser sinal de um distúrbio da fase REM do sono”, diz Rosen. Esse problema significa que a paralisia típica dos músculos durante o sono não está ocorrendo. Pacientes que têm esse distúrbio, conhecido pela sigla em inglês RBD (REM behavior disorder), podem falar, bater e até mesmo levantar-se da cama, o que pode ser perigoso tanto para quem está sonhando quanto para o parceiro, segundo a Fundação Nacional do Sono. Mas existem tratamentos, e a melhor saída é procurar um especialista.

Ele é um animal (literalmente)

Sim, é uma delícia agarrar o Totó na cama, mas toda vez que um animal de estimação se mexe ou faz barulho seu sono provavelmente é interrompido. Cerca de 30% das pessoas que dormem com seus animais relatam acordar pelo menos uma vez por noite, segundo uma pesquisa de 2014. “Se você não tiver um sono saudável, quem quer que divida a cama com você – animais de estimação, bebês – vai ter de ajustar seus hábitos de acordo com os seus”, diz Rosen. “Do contrário, melhor tirá-los da cama.”

Bichos na cama também trazem consigo toda a sujeira e o pólen que eles acumularam durante suas aventuras diurnas, o que pode representar o risco de reações alérgicas. Melhor dar uma cama própria para o Totó!

Este texto foi publicado originalmente no The Huffington Post e foi traduzido do inglês.

LEIA MAIS

- Os dez mandamentos para uma noite de sono tranquila

- 15 pensamentos que passam pela cabeça de quem sofre de insônia