NOTÍCIAS
19/10/2014 23:43 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Em debate sério na Record, Aécio e Dilma divergem sobre políticas de segurança pública para o Brasil

VANESSA CARVALHO/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚ

De fato, está mais propositivo o terceiro debate do segundo turno entre os presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) na noite deste domingo (19). O segundo bloco do #DebateNaRecord tratou da gestão da Petrobras, políticas de segurança pública e relação do governo federal com os bancos públicos.

Dilma destacou que pretende estender a experiência da Copa do Mundo de integração das polícias Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal e Forças Armadas.

"A proposta é atuação em conjunto, com os mesmos mecanismos de inteligência e tecnologia para impedir que o crime organizado assuma a liderança", defendeu a presidente. "Isso que aconteceu no estado de Minas Gerais, onde o número de homicídios cresceu 52% de 2002 a 2012", ponderou a petista, referindo-se a parte do período da gestão de Aécio em Minas.

Os dados que ela aborda constam do Mapa da Violência 2014.

O tucano ressaltou que os centros de integração de segurança foram feitos pelo governo federal, em parceria com os Estados.

"Por que isso não foi feito antes? Por que acabou com a Copa do Mundo?", questionou o tucano.

Ele ressaltou que Minas é o segundo estado mais populoso do Brasil e tem a quinta menor taxa de homicídios.

Galeria de Fotos Cena a cena do #DebateNaRecord Veja Fotos