NOTÍCIAS
16/10/2014 14:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Espanha é o centro do mundo na 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Retrospectiva do cineasta Pedro Almodóvar, exposição fotográfica de Luís Buñuel e apresentação da filmografia de Víctor Erice. Com uma programação centrada na produção cinematográfica espanhola, começa hoje (16) a 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Serão exibidos 331 títulos, dentro os quais 42 são da Espanha.

38ª MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE SÃO PAULO

“Esse foco é acompanhado de um encontro de coprodução entre Brasil e Espanha, com projetos dos dois países procurando coproduções", afirma Renata de Almeida, diretora da mostra. "Isso foi proposto pelo governo da Espanha e a gente aceitou porque o cinema espanhol é muito rico. Convidamos Almodóvar para fazer o pôster [do festival deste ano] e resolvemos também fazer uma retrospectiva dele e de outro grande cineasta espanhol, que é o Victor Erice, que tem poucos longas, mas que chegam à excelência.”

Além da exibição de filmes, a mostra é acompanhada da exposição 'México Fotografado por Luis Buñuel', com 85 fotografias feitas pelo cineasta no México entre os anos 1947 e 1965, e que ocorre na Cinemateca Brasileira a partir de hoje. “São fotos de estudos para locações, quando ele morou na Espanha”, explica Renata. As imagens, segundo ela, permitem que o visitante reconheça o trabalho de Buñuel, que foi levado ao cinema, e o olhar que ele transferia para suas obras.

A mostra apresentará também cinco clássicos do cinema espanhol que foram restaurados pela Cinemateca daquele país: 'Falstaff - O Toque da Meia-Noite' (1965), produção que Orson Welles filmou na Espanha; 'Flamenco', de Edgard Neville (1952); 'A Idade do Ouro' (1930) e 'Um Cão Andaluz' (1929), ambos de Luis Buñel; e 'Frivolinas' (1927), de Arturo Carballo.

Além da Espanha

O diretor, produtor, distribuidor e exibidor Marin Karmitz, fundador da MK2 [importante empresa na indústria de cinema na França], também ganhou uma retrospectiva com 30 filmes que serão exibidos no festival. Entre eles, a consagrada 'Trilogia das Cores', de Krzysztof Kieslowsk, e 'Ópera do Malandro', de Ruy Guerra. Parte da retrospectiva será apresentada gratuitamente no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

A mostra deste ano também apresenta filmes premiados ao redor do mundo como 'Um Pombo Pousou num Galho Refletindo sobre a Existência', de Roy Andersson, vencedor do Leão de Ouro em Veneza; 'Winter Sleep', de Nuri Bilge Ceylan, que recebeu a Palma de Ouro em Cannes; e 'Do que Vem Antes', de Lav Diaz, premiado com o Leopardo de Ouro em Locarno.

Chaplin grátis

No Parque Ibirapuera também haverá a exibição gratuita e ao ar livre do filme 'O Circo', homenagem aos 100 anos do personagem Carlitos, de Charles Chaplin. Antes será exibido o curta 'Corrida de Automóveis para Meninos' (1914), primeira aparição do personagem Carlitos no cinema. O filme e o curta serão exibidos no dia 1º de novembro, na área externa do Auditório Ibirapuera, com acompanhamento da Orquestra Experimental de Repertório da Fundação Theatro Municipal de São Paulo e regência do maestro Carlos Eduardo Moreno. “Esta é uma sessão muito esperada pelo público, em que ele leva até cesta de piquenique. E este ano deve ser bem popular, por ser Chaplin”, diz a diretora.

Destaques

Entre os destaques da mostra estão 'Hermosa Juventud', de Jaime Rosales, que recebeu menção honrosa do júri ecumênico no Festival de Cannes; 'Viver é Fácil com os Olhos Fechados', de David Trueba, vencedor de seis Goya (principal premiação do cinema espanhol) e indicado pela Espanha para disputar uma das vagas para o Oscar de melhor filme estrangeiro; e 'As Bruxas de Zugarramurdi', de Álex de la Iglesia, que levou oito prêmios Goya.

Confira 10 filmes imperdíveis:

 

(Com Agência Brasil)