NOTÍCIAS
16/10/2014 17:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Aécio Neves critica Dilma Rousseff: 'É uma campanha criminosa de desconstrução de adversários'

TABA BENEDICTO/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves (PSDB), disse nesta quinta-feira (16) estar "extremamente feliz" com os resultados das últimas pesquisas eleitorais, afirmando que sua candidatura cresceu bem mais do que a da presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição. O candidato também criticou a estratégia adotada pelo PT de tentar desconstruir sua imagem.

"Você abre o jornal e tem novas denúncias contra o governo do PT e a Petrobras.Vamos falar a verdade e combater a mentira. É uma campanha vergonhosa e até criminosa de desconstrução de adversários", disse.

Sobre o resultado das pesquisas, Aécio declarou que nunca esperou uma eleição fácil.

"Nós tínhamos 33 por cento (dos votos válidos) em 5 de outubro e hoje estamos com 51 por cento das intenções de voto, eu não sei se em outra campanha na história da democracia brasileira houve um crescimento tão grande de uma candidatura em tão pouco tempo", afirmou.

Os levantamentos Datafolha e Ibope divulgados na quarta-feira (16) mostraram estabilidade na corrida presidencial, com ambos os institutos apontando o tucano com 51 por cento dos votos válidos contra 49 por cento para Dilma, em empate técnico e com o mesmo resultado das pesquisas feitas na semana passada.

Havia expectativa, em particular no mercado financeiro, de que Aécio continuasse a crescer nas pesquisas eleitorais, em meio aos escândalos de suposta corrupção na estatal Petrobras e pelo apoio de partidos e da terceira candidata do primeiro turno, Marina Silva (PSB), ao tucano.

Programa eleitoral

A propaganda de Aécio no horário político gratuito exibiu trechos do debate da Band, em que o candidato reforça as críticas à inflação alta e ao baixo crescimento da economia.

O tucano também aproveitou o tempo para agradecer ao apoio de Renata Campos, viúva de Eduardo Campos, e de Marina Silva.

(Com informações da Reuters)