NOTÍCIAS
13/10/2014 13:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Clássico game 'Prince of Persia' completa 25 anos

Prince of Persia está entre aqueles jogos que ocupam o patamar dos clássicos supremos, assim como Tetris, Pac-Man. Tá, e por que estamos falando disso agora? Tem a ver com as eleições? Com a epidemia de ebola? Vamos descobrir o sentido da vida? Não, nada disso. É que o game que inaugurou a série lá em 1989 acabou de completar 25 anos. E aí é hora da nossa sessão nostalgia.

Tudo começou em 1984. “Ué, não era em 1989?”. É, mas antes disso, Jordan Mechner, o criador de Prince of Persia, programou um jogo chamado Karateka que chamou muita atenção por conta das animações elaboradas do personagem para aplicar cada golpe. Alguns anos depois, Mechner começou a desenvolver outro projeto, dessa vez usando seu irmão como “modelo” para os saltos e para a corrida — elementos básicos do Prince of Persia — e se inspirando em Robin Hood e em Indiana Jones. O resultado foi esse aqui embaixo.

Naquela época, era extremamente difícil criar animações elaboradas nos games devido às limitações técnicas dos computadores. Mas Mechner, que estudava e trabalhava com cinema, queria levar as coisas a outro nível, o que conseguiu depois de dois anos programando o jogo que deu origem à série. É por conta desses avanços que seu trabalho é tão lembrado e cultuado na indústria dos jogos eletrônicos — e não por sua capacidade como roteirista, já que tanto em Prince of Persia quanto Karateka o enredo é um mal explicado “salve a princesa”.

Mas Prince of Persia também é bastante lembrado pela dificuldade, outra marca registrada dos games pré-1990. Os 12 níveis lotados de armadilhas e guardas tinham de ser superados em menos de uma hora. Morreu? Volta para o começo. A vida era cruel na Pérsia antiga.

Além de dar um passo além, Mechner criava também uma das mais icônicas franquias dos games, que posteriormente serviria como base para séries ainda hoje ativas, como Assassin’s Creed, Uncharted e Tomb Raider. Afinal, quem é que nunca pensou nesse clássico quando se pendurava nesses jogos citados? As referências podem não ser explícitas, mas tem muito Prince of Persia nessas subidas, descidas e quedas.

A primeira sequência saiu também em 1993, pela Brøderbund, a mesma companhia que havia publicado o jogo original. Uma série de problemas envolvendo as várias empresas que acabaram detentoras da franquia fizeram com que o terceiro e último título da trilogia, de 1999 e em três dimensões, fosse um fracasso, mas pouco tempo depois, a Ubisoft reviveu a série com três novos jogos — Prince of Persia: The Sands of Time (2003), Prince of Persia: Warrior Within (2004) e Prince of Persia: The Two Thrones (2005).

A nova trilogia fez sucesso e outros games foram criados em 2008 e em 2010 — o desse ano, The Forgotten Sands, sendo o último da franquia até agora. A marca segue nas mãos da Ubisoft (que parece estar ocupada com outros personagens que curtem uma escalada, como vocês podem ver aqui), mas não há nenhuma informação concreta sobre um novo Prince of Persia chegando. Por enquanto, dá para jogar essa versão online, que não tem o mesmo charme do original, dá aquele gostinho de nostalgia.

Como vocês sabem, é comum que jogos que atinjam esse status de clássico acabem “migrando” para outras mídias. Além dessa história toda, Prince of Persia virou filme em 2010, inspirado no primeiro game da trilogia iniciada em 2003. No papel principal está Jake Gyllenhaal (de 'O Segredo de Brokeback Mountain' e 'Donnie Darko').