NOTÍCIAS
11/10/2014 16:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Com a benção da família de Eduardo Campos, Aécio Neves evita maioridade penal e abraça parte das demandas de Marina

ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, participou de um ato político na manhã deste sábado (11) em Recife, ao lado dos filhos de Eduardo Campos, João, Pedro e Maria Eduarda. O tucano reuniu lideranças dos movimentos sociais pernambucanos e dirigentes do PSB - partido que escolheu apoiá-lo - para anunciar trechos de seus compromisso para o segundo turno que contemplam as exigências feitas por Marina Silva para apoiá-lo.

Das sugestões entregues, Aécio assumiu e concordou com a maioria, como a ampliação de políticas sociais e da participação popular, manutenção da prerrogativa do Executivo de demarcar terras indígenas, além de reiterar seu “compromisso programático” com a questão ambiental, tema chave para Marina, e com a “retomada” da reforma agrária.

"O governo Dilma tem sido negligente na questão da demarcação das terras indígenas", disse o candidato do PSDB. Aécio também prometeu dar "a devida importância" à questão das mudanças climáticas, defendeu a economia de baixo carbono e reiterou seu compromisso com os programas de transferência de renda. "Vamos transformar o Bolsa Família em política de Estado e não de governo", disse Aécio.

Em seu discurso, o tucano exaltou Marina Silva diversas vezes e prometeu dar continuidade ao legado do ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo no dia 13 de agosto, no primeiro turno desta corrida presidencial. "Me sinto responsável para levar para cada canto do País o legado e o sonho de Eduardo Campos", disse o tucano. Marina foi chamada de "honrada e digna brasileira".

Entretanto, uma das principais divergências entre Aécio e Marina - a proposta tucana em reduzir a maioridade penal em caso de crimes hediondos - não foi contemplada no documento divulgado por Aécio em Recife. Questionado sobre o assunto, o candidato tucano afirmou aos jornalistas que "a convergência (com o programa da ex-senadora) se deu nas questões macro".

Entre ceder a Marina e desagradar o vice, Aloysio Nunes (defensor da proposta), Aécio ficou com a segunda opção. A candidata do PSB, derrotada no primeiro turno, deve anunciar a sua posição de maneira oficial neste domingo (12).

O presidenciável disse ainda que o encontro foi "o mais importante desta campanha" até aqui. Ainda neste sábado, o candidato participou de mais uma atividade política na capital pernambucana, um encontro com a coligação que elegeu Paulo Câmara (PSB) e depois almoçou com Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco.

“Nordeste vai virar o jogo”

Aliado do candidato Aécio Neves na corrida deste segundo turno ao Palácio do Planalto, o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), que foi vice na chapa da presidenciável Marina Silva, mandou neste sábado um recado à adversária do PT, Dilma Rousseff: "Dilma que se prepare, porque o Nordeste vai virar o jogo (neste segundo turno, em favor de Aécio)."

Ao lado da região Norte, o Nordeste concentra grande parcela dos votos a favor da petista.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

LEIA TAMBÉM

- ‘Saco de pancada' do PT, ex-presidente Fernando Henrique Cardoso reage e critica Lula (VÍDEO)

- Dilma e PT apontam ‘tentativa de golpe' com vazamento de depoimentos de CPI e pesquisas eleitorais ‘suspeitas'

- Aliados para o 2º turno, dirigentes de PSDB e PSB já trocaram farpas durante debates na TV

- PSDB e PT pedem investigação sobre mensagens contra nordestinos nas redes sociais após o segundo turno