NOTÍCIAS
10/10/2014 16:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Dilma se diz 'estarrecida' com vazamento do depoimento do ex-diretor da Petrobras

ED FERREIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

A presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) afirmou que ela e o país foram surpreendidos com o vazamento dos depoimentos com denúncias de corrupção na Petrobras, na tarde desta sexta-feira (10), após reunião com assessores em Brasília.

"Acho muito estranho e muito estarrecedor que no meio de uma campanha eleitoral façam esse tipo de divulgação. Que não se use isso de forma leviana em períodos eleitorais e de forma incompleta", disse a presidente.

Sobre a permanência do presidente da Transpetro, Sérgio Machado, citado como envolvido no depoimento do ex-diretor, Dilma disse vai investigar todas as pessoas, mas que respeita a premissa do direito à defesa.

"Não basta só alguém falar que ouviu dizer, não lembra quando, pode ser que foi, e aí você pega e condena a pessoa", disse, acrescentando que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, tem mantido conversas com Machado.

O encontro com assessores, realizado nesta manhã, avaliou a repercussão negativa das denúncias do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef.

Após a coletiva, a presidente seguiu para Rio Grande do Sul e deve participar, nesta tarde, de uma caminhada na cidade de Canoas.

Sobre as denúncias, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ao G1, que a denúncia de corrupção não pode baixar a cabeça de petista.

"Não podemos admitir que um tucano bicudo venha chamar a gente de corrupto. Não podemos aceitar que eles façam adesivos fora PT fora Dilma porque nos nunca fizemos fora eles”, disse Lula, em evento na tarde desta quinta (9) em São Paulo.

Na página do Facebook, a campanha voltou a citar as propostas de Dilma para acabar com a corrupção.

Apoio

Alianças entre partidos estão se firmando ao longo da campanha do segundo turno das eleições presidenciais. Contrariando a direção nacional do partido, os diretórios estaduais do PSB da Paraíba, Rio de Janeiro e Bahia confirmaram apoio à candidata Dilma Rousseff (PT).

Em evento, Dilma ressaltou que existe uma disputa entre dois projetos diferentes para o país, mas que o dela tem como prioridade “aqueles que mais precisam”

"Represento um projeto para o Brasil e hoje são dois projetos diferentes para o Brasil que estão se confrontando. Porque eleição é isso, um cotejo de projetos", disse Dilma.

A petista visitou cidades da Bahia, Sergipe e Alagoas ao longo desta semana, visando atrair os eleitores da região Nordeste. De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, o objetivo da campanha é elevar a vantagem da presidente para 75% dos votos válidos.

(Com informações da Reuters e Estadão Conteúdo)