NOTÍCIAS
10/10/2014 11:17 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:04 -02

Brasil registra primeiro caso suspeito de Ebola. Veja perguntas e respostas

Ministério da Saúde/ Divulgação

Nesta quinta-feira (9), o Brasil registrou o primeiro caso de um paciente com suspeita de contaminação pelo vírus Ebola. Em entrevista coletiva nesta sexta (10), o ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou que a situação está sob controle e que todos os protocolos internacionais foram seguidos.

O homem, de 47 anos, veio da Guiné e foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento "UPA II" em Cascavel, no Paraná. Na madrugada de sexta-feira (10), ele foi levado para o Rio de Janeiro. Segundo o Ministério da Saúde, até agora, ele só apresentou um quadro febril, e não foram identificados outros sintomas da doença. O Ebola só é transmitido em caso de contato direto com fluidos corporais ou superfícies contaminadas por fluidos do paciente sintomático.

Acompanha as últimas informações sobre o caso.

O que sabemos até agora

- Quem é ele?

Souleymane Bah, 47 anos

- De onde ele veio?

Da Guiné, um dos três países africanos que enfrentam um surto de Ebola – os outros dois são da Libéria e a Serra Leoa. Segundo da Polícia Federal ele entrou no Brasil dia 19 de setembro, pelo Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, onde recebeu um visto de turista válido por 90 dias. Seu voo fez escala no Marrocos. No dia 23 de setembro, ele entrou com um pedido de refúgio na delegacia da PF em Dionísio Cerqueira (SC), na fronteira com a Argentina.

pedido de refúgio

- Quando o paciente começou a apresentar os sintomas?

De acordo com o Ministério da Saúde, na quarta (8) e na quinta-feira (9) dessa semana ele apresentou um quadro febril. “Até o início da noite, estava subfebril e não apresentava hemorragia, vômitos, diarreia ou quaisquer outros sintomas. Está em bom estado geral e, mantido em isolamento total.” O vírus do Ebola só é transmitido quando surgem os sintomas. Ele apresenta também tosse e dor de garganta, segundo Chioro.

- Como a suspeita será confirmada ou descartada?

As amostras já foram colhidas e os exames serão feitos no Instituto Evandro Chagas em Ananindeua, na região metropolitana de Belém. O resultado será divulgado em 24 horas. Mais uma amostra será colhida em 48 horas, para análise e avaliação dos resultados, conforme orientam os protocolos internacionais.

- A OMS já foi notificada?

De acordo com o ministério, a notificação foi feita na madrugada desta sexta-feira (10). O país tem 24 horas para fazer essa comunicação à entidade.

- Onde o paciente está sendo tratado?

Ele foi levado de Cascavel, no Paraná, para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que é referência em doenças infecciosas. Inicialmente, ele foi atendido em uma unidade de pronto-atendimento em Cascavel. Autoridades do Paraná afirmam que todos as medidas recomendadas foram adotadas. A unidade de saúde no Paraná onde ele foi atendido está isolada e será reaberta somente após as 13h por determinação do Ministério da Saúde.

- Os protocolos internacionais foram seguidos?

De acordo com Chioro, "todos os procedimentos indicados no nosso protocolo foram efetivamente aplicados com muito êxito".

Chioro, afirmou que o paciente está sem febre e assintomático. O protocolo foi adotado pelo fato de ele ter procurado atendimento médico e ter saído da Guiné há menos de 21 dias, tempo de incubação do vírus. Durante o período de incubação não há transmissão do vírus, o Ebola só é transmitido por pacientes sintomáticos.

De acordo com a assessoria de imprensa de Secretária de Estado da Saúde do Paraná, 30 funcionários, 24 pacientes e 14 acompanhantes foram isolados logo após a constatação do caso suspeito. Todos as pessoas foram submetidas aos procedimentos de desinfecção e foi descartada qualquer possibilidade de contaminação.

O ministério também detectou quatro pessoas que vivem no mesmo local que o paciente. Todos foram considerados de baixo risco, e farão monitoramento da temperatura uma vez ao dia, durante 21 dias. Apenas os três profissionais de saúde que tiveram contato direto com o paciente serão monitorados duas vezes por dia.

- Quais são as outras possibilidades para o quadro de febre?

Bem, praticamente infinitas, mas os médicos trabalham também com as possibilidades de malária e dengue hemorrágica. Segundo o ministério, a testagem para a malária teve resultado negativo.