NOTÍCIAS
09/10/2014 23:52 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:03 -02

Suspeita de homofobia em Brasília: Beijaço é organizado em protesto à agressão de jovens gays com garrafada no bar Simpsons

Reprodução/Facebook

Três jovens gays foram agredidos nesta semana no bar Simpsons, na 307 Sul, no centro de Brasília. Eles acreditam que foram vítimas de homofobia. Um deles chegou a ser atacado com uma garrafa de cerveja.

Na terça-feira (7), o casal Rayan De Souza e Thayrone Rocha, ambos com 23 anos, e o amigo Yuri Rodrigues, de 22, foram hostilizados por seis rapazes, que estavam sentados próximo à mesa deles. Eles passaram a ofendê-los por conta da orientação sexual do trio. A irmã de Rayan, Jhennifer Souza, também participava do encontro.

Após os xingamentos, os dois grupos começaram a discutir. Irritados, os seis agressores partiram para cima de Rayan, Thayrone e Yuri.


"O que me deixa mais revoltado é que a gente foi agredido pelo simples fato de nossa orientação sexual. Isso ficou bem claro", desabafou Thayrone à TV Brasília.

Os rapazes quebraram o maxilar de Yuri, que teve de ser levado às pressas para o hospital. Rayan precisou tomar ponto por causa da agressão com a garrafa.

A 1ª Delegacia de Polícia, da Asa Sul, está investigando o caso.

Segundo as vítimas, o bar Simpsons não prestou apoio a eles.

Pelo Facebook, a gerência do estabelecimento lamentou os ataques e ressaltou que "é contra todo e qualquer tipo de agressão, seja ela por motivações discriminatórias ou não".

Os funcionários do Simpsons vão colaborar com as investigações.

LEIA MAIS:

- Autor da proposta do kit macho, candidato Matheus Sathler é rejeitado pelo eleitorado e fica de fora da Câmara dos Deputados

- Levy Fidelix e a homofobia que mata: Não, não foi apenas 'liberdade de expressão'

Beijaço

Em protesto ao teor homofóbico das agressões, a comunidade LGBT de Brasília está organizando um "beijaço" nesta sexta-feira (10), às 18h.

Mais de 1,3 mil pessoas já confirmaram presença no evento pelo Facebook.

O coordenador do grupo Basta Homofobia, Caio da Silva Araújo, espera que o movimento celebre a diversidade. "Também queremos divulgar uma reivindicação do movimento LGBT, que é a sanção da lei que pune estabelecimentos de Brasília coniventes ou promotores da discriminação de gays", disse, em entrevista ao Brasil Post.

A lei distrital 2615/2000 foi sancionada em 2013 pelo governador Agnelo Queiroz, mas revogada no mesmo dia depois de pressão da bancada evangélica da Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Com a legislação em vigor, em um caso como o do casal e amigos agredidos no bar, se o estabelecimento não prestasse apoio, poderia receber multa ou ter até o alvará de funcionamento cassado.

Photo galleryCasos de Homofobia no Brasil em 2014 See Gallery