Maconha medicinal: Entenda de uma vez por todas o que é o canabidiol, remédio de cannabis

Muita gente fala mal da erva. Mas a erva... A erva... Pode ajudar milhões de pessoas a viverem melhor.

E isso não é papo de maconheiro. Quem diz é José Alexandre Crippa, pós-doutor pelo Kings College de Londres e coordenador do programa de pós-graduação em Saúde Mental da USP Ribeirão Preto.

Entre as centenas de substâncias encontradas na maconha, existe uma com efeito antiinflamatório, analgésico, antidiabético, antitumoral e antidepressivo, como disse Crippa à Ciência & Vida. É o canabidiol (CBD), substância que, apesar de ter efeitos medicinais, ainda não é regulada no Brasil.

Abaixo, veja cinco perguntas para entender de vez o que é o canabidiol.

O que é o canabidiol?
Yuliya Semakova via Getty Images
O canabidiol é uma das 480 substâncias que existem na maconha.

Ele pode ser extraído das variedades Cannabis indica e Cannabis sativa, e se concentra no caule e nas folhas (que não são 'fumáveis').

Nos Estados Unidos, é vendido em pasta, em comprimidos ou em gotas.
Dá barato?
ASSOCIATED PRESS
Nãããão! A principal substância alucinógena da maconha é o tetrahidrocanabinol (conhecido pela sigla THC), que é encontrado principalmente na flor da planta, onde quase não há canabidiol.

Além de dar barato, o THC compromete o raciocínio e a memória quando é utilizado em grandes quantidades, por longos períodos.
Serve para quê?
ASSOCIATED PRESS
Estudos indicam que o canabidiol apresenta resultados positivos no tratamento de epilepsia de difícil tratamento e esquizofrenia.

Várias outras pesquisas sugerem que ele pode auxiliar quem sofre de distúrbios do sono, ansiedade, doença de Parkinson e mais uma série de doenças.
Vicia?
Jonathan Kantor via Getty Images
O CBD não provoca dependência ou efeitos tóxicos com o uso crônico.

Na verdade existem estudos que sugerem que o canabidiol pode ajudar no combate à dependência de outras substâncias como a cocaína.
Se não deixa ninguém chapado, não vicia e trata várias doenças, por que ele é ilegal?
Dmitriy Norov via Getty Images
Por preconceito.