NOTÍCIAS
21/09/2014 22:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Dilma esclarece declaração sobre imprensa e diz que considera a 'selfie' a maior novidade da campanha eleitoral

Neste domingo (21), a presidente Dilma Rousseff tentou explicar a declaração feita por ela esta semana de que não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações. A afirmação foi feita ao comentar reportagem da revista Veja sobre o escândalo na Petrobras.

"Fizeram uma confusão danada com a minha declaração sobre investigação"

Segundo ela, sua preocupação é não deixar as coisas impunes. "Acabar com a impunidade diz respeito a acelerar a investigação e que não se alegue que as provas foram comprometidas para A, B ou C. O jornalismo pode oferecer elementos, mas quem fez a prova foi a investigação oficial porque, senão, não consegue condenar ninguém", explicou.

Segundo Dilma, a preocupação é ter mais rapidez na investigação e em tipificar o crime. "Muita gente acha que é crime e não está no código civil, como por exemplo o caixa 2", disse.

Cansaço

A presidente Dilma Rousseff contou no início da entrevista que deu neste domingo (21), no Palácio da Alvorada que está muito cansada. "Se eu sentar, eu não levanto. Estou muito cansada", disse justificando porque daria a entrevista em pé.

Mas ela afirmou que também recebe muita energia durante a campanha para reeleição. "O pessoal no Brasil é muito afetivo, gosta de abraçar, agarrar, beijar. Eu também dou e fica elas por elas", disse.

Dilma afirmou que considera a "selfie" a grande novidade dessa campanha. "Existe um grau de universalização da selfie", disse.

Por onde andam Aécio e Marina?

Em terceiro lugar nas pesquisas, o candidato do PSDB à presidência, Aécio Neves, apelou à fé sertaneja neste domingo (22), na esperança de uma "virada" na reta final da campanha.

Em visita ao Centro de Tradições Nordestinas Luiz Gonzaga, na zona norte do Rio, o candidato pediu "ajuda" ao Padre Cícero (1844-1934), religioso venerado em todo o sertão nordestino pelos supostos milagres que teria realizado.

"À bênção meu padre Cícero, me ajuda aí", disse Aécio, arrancando risos de aliados e assessores que o acompanhavam. Ele prometeu, se eleito, resgatar a história do religioso e trabalhar por sua beatificação.

Já Marina Silva (PSB), em visita a Manaus neste domingo (21), Silva reiterou que está sendo agredida pelos principais adversários nas eleições e disse que não vai "cair em tentação" para responder à presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) e ao candidato Aécio Neves (PSDB).

"Eu tenho sido muito agredida, vocês acompanham, de que vai acabar o 'Minha Casa, Minha Vida', o 'Bolsa Família', o 'Mais Médicos', a exploração do pré-sal, a Transnordestina, a transposição do Rio São Francisco... Acabar com as férias, acabar com o FGTS (as pessoas no espaço riram nesse momento), o décimo terceiro salário... Vocês até riem, porque isso é subestimar a inteligência da sociedade. É o que eu chamo de marketing selvagem."

Ao expor suas propostas, a candidata pelo PSB também criticou o governo Dilma e chegou a dizer que é um "retrocesso no desenvolvimento sustentável".

(Com Estadão Conteúdo)