NOTÍCIAS
20/09/2014 15:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Militares admitem tortura durante a ditadura, afirma jornal

ESTADÃO CONTEÚDO

Pela primeira vez, militares admitem a ocorrência de torturas e violações aos direitos humanos durante a ditadura. As informações são de Eliane Catanhêde, na Folha de S.Paulo de hoje (20).

De acordo com a reportagem, o ministro da Defesa, Celso Amorim, encaminhou ontem (19) à Comissão Nacional da Verdade (CNV) ofícios das três Forças Armadas — Exército, Marinha e Aeronáutica — em que alegam não ter condições de negar tais ocorrências.

Os ofícios foram feitos por ordem do ministro Amorim. Os documentos foram enviados à comissão 38 dias depois de a CNV submeter ao Ministério da Defesa uma lista com nomes de 24 vítimas, além de informações como locais de torturas e provas de violações. Junto à lista, a comissão envinou uma pergunta: o Ministério da Defesa e as três Forças "confirmam ou negam as informações apresentadas e comprovadas pela CNV"?

O teor dos ofícios varia. Enquanto a Aeronáutica diz não ter elementos para contestar as violações e a responsabilidade do Estado, a Marinha não nega e nem confirma. O Exército, por sua vez, não rebate as acusações da comissão.

Segundo a reportagem, o Ministério da Defesa acredita que este "é um passo importante a mais no processo de reconhecimento público, pelas três Forças, de que houve torturas e mortes durante aquele regime e que o Estado brasileiro tem responsabilidade pelo ocorrido".

Leia a reportagem completa no site da Folha de S.Paulo.