NOTÍCIAS
19/09/2014 20:49 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

USP e Unesp encerram greve; atividades serão retomadas na próxima segunda-feira

NELSON ANTOINE/FRAME/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO

Os funcionários da Universidade de São Paulo (USP) decidiram, no começo da tarde desta sexta-feira (19), encerrar a greve, após 116 dias de braços cruzados. Mais tarde, foi a vez de professores e funcionários da Universidade Estadual Paulista (Unesp) aprovarem o fim da paralisação. Docentes e servidores devem retomar as atividades na próxima segunda-feira (22).

Os manifestantes conseguiram reajuste de 5,2% em duas parcelas (setembro e dezembro) e abono de 28,6% para cobrir as perdas com a inflação desde maio, mês em que começou a negociação do dissídio. Os reitores das universidades queriam congelar os salários por causa da grave crise financeira das instituições, que gastam praticamente toda a receita com a folha de pagamento. No caso da Unesp, também houve aumento de 41% no vale-alimentação; na USP, entretanto, grevistas e reitoria concordaram em discutir tal reivindicação depois do encerramento da greve.

Na Justiça do Trabalho, a USP e os servidores grevistas também acertaram que a reposição das atividades paradas durante a greve se daria até 12 de dezembro, fim do ano letivo, com limite de uma hora além do expediente. No caso dos professores, todas as classes deverão ser repostas de acordo com o calendário definido em cada uma das faculdades.

Na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), professores e funcionários já retomaram o funcionamento normal.

(Com informações do Estadão Conteúdo)