NOTÍCIAS
17/09/2014 13:09 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Caso Aranha: Felipão ridiculariza reação de goleiro santista às ofensas racistas sofridas

LUCIANO LEON/RAW IMAGE/ESTADÃO CONTEÚDO

O treinador Luiz Felipe Scolari encontrou no Grêmio - time onde viveu os melhores momentos de sua carreira, nos anos 90 – o clube ideal para reerguer-se após a desastrosa passagem pela Seleção Brasileira que, sob seu comando, viveu o ponto mais baixo de sua história. A falta de humildade ao reconhecer “o tombo” e a empáfia destilada aos torcedores do escrete nacional após as derrotas para Alemanha e Holanda e em sua saída do cargo fez com que sua popularidade ruísse entre amantes do futebol no Brasil.

Nesta terça-feira (16), um novo episódio fez com que sua moral ficasse ainda mais baixa no mundo da bola. Durante um treino do Grêmio visando a partida contra o Santos nesta quinta-feira, válida pelo Campeonato Brasileiro, e que marca o reencontro da torcida gremista com o goleiro Aranha no palco onde ele sofreu ofensas racistas que acabaram por eliminar o clube gaúcho da Copa do Brasil, Felipão proferiu a seguinte frase ao assessor de imprensa, João Paulo Fontoura, ouvida por jornalistas presentes e publicada pelo jornal Zero Hora:

“Vê se eles (jornalistas) vão cair na esparrela do Aranha de novo. Fala com eles, diz para eles.”

“Cair na esparrela” significa “deixar-se enganar”. Felipão, assim, endossa as declarações do ex-presidente do Grêmio, Luiz Carlos Pereira Silveira Martins, o Cacalo, que, no dia 2 de setembro, chamou Aranha de “coitadinho”, afirmando que sua revolta por ter sofrido agressões racistas não passou de uma “cena teatral”.

A volta de Aranha à Arena Grêmio

A diretoria do Grêmio montou um esquema especial para a partida desta quinta-feira (18), contra o Santos, na Arena Grêmio. Boa parte das câmeras do circuito interno de segurança da estádio serão direcionados para o setor da arquibancada norte, local onde fica a Geral, principal torcida organizada do clube e de partiram os gritos racistas ao goleiro Aranha na partida realizada no dia 28 de agosto.

LEIA MAIS:

- Após caso de racismo, Fifa diz apoiar exclusão do Grêmio na Copa do Brasil

- Pelé critica Aranha e afirma que racismo tem que ser combatido, mas "não dessa forma"

- Macaco ou burro chucro? A injúria racial no futebol

- Bahia lança mascote negra para fortalecer a luta contra o racismo no futebol

O setor, que comporta cerca de 5.500 torcedores, terá apenas 3.200 ingressos comercializados, exclusivamente pela internet - cada torcedor poderá comprar apenas uma entrada. A infiltração de funcionários do clube na torcida foi outra medida de segurança anunciada pela diretoria.

Cabe ressaltar que a Geral está suspensa por tempo indeterminado dos jogos do Grêmio e proibida de usar marcas do clube como faixas, roupas e adereços.