NOTÍCIAS
09/09/2014 17:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Ficha suja, ex-governador José Roberto Arruda é derrotado no STJ e deve ficar de fora da corrida pelo governo do Distrito Federal

André Dusek/Estadão Conteúdo

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) impôs nova derrota ao ex-governador José Roberto Arruda, que tentava novamente governar o Distrito Federal. O político que chegou a ser preso em 2010 pelo esquema conhecido como "mensalão do DEM" teve a candidatura impugnada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por ser condenado em segunda instância por improbidade administrativa.

Arruda entrou com recurso no STJ tentando anular os efeitos da condenação no Tribunal de Justiça do Distrito Federal para, assim, deixar de ser ficha suja.

Entretanto, Arruda foi vencido na corte por três votos a um.

Apenas o relator Napoleão Maia Nunes foi favorável a acolher o recurso do governador por acreditar que o juiz que havia condenado Arruda estava "sob suspeição".

Votaram contra os ministros Benedito Gonçalves, Sérgio Kukina e Regina Helena Costa.

Com a condenação por improbidade administrativa, Arruda continua barrado na Lei da Ficha Limpa. Essa é a terceira derrota do ex-governador, cuja candidatura foi impugnada pelo TRE — decisão mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo o IG, especialistas em direito eleitoral dizem que um recurso no TSE não poderá revalidar a candidatura de Arruda.

Restaria ao ex-governador entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal alegando inconstitucionalidade do TSE – "algo considerado improvável", diz o site.

Portanto, Arruda deve ficar fora da corrida eleitoral, abrindo espaço para confronto entre o atual governador do DF, Agnelo Queiroz (PT), e o senador Rodrigo Rollemberg (PSB).

LEIA MAIS:

- Mesmo considerados "ficha suja", candidatos nas eleições de 2014 desrespeitam a lei e mantêm campanha nas ruas

- Ficha suja Paulo Maluf é confirmada e TSE barra sua candidatura