NOTÍCIAS
08/09/2014 17:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

CPMI no Congresso pede cópia de depoimento da delação premiada de ex-diretor da Petrobras

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), solicitou à Justiça Federal do Paraná cópia dos depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da estatal petrolífera Paulo Roberto Costa.

Desde 29 de agosto, Costa está depondo à Polícia Federal (PF) em regime de delação premiada, em um acordo para tentar obter redução de pena. O ex-diretor foi preso na Operação Lava Jato, da PF, acusado de ter recebido propina em um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. A suspeita é de que o crime envolva R$ 10 bilhões.

Os pedidos da CPMI foram formalizados em dois ofícios, o primeiro direcionado à Justiça paranaense e o segundo ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os documentos foram feitos a partir de requerimentos já aprovados na comissão para os parlamentares terem acesso aos dados da Operação Lava Jato.

Reunião de líderes

Os líderes partidários da comissão vão se reunir às 10 horas da quarta-feira (10) para decidir sobre o acesso às informações da delação de Costa. O encontro foi pedido pelo líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), que apresentou nesta segunda-feira requerimento à comissão pedindo acesso ao conteúdo dos depoimentos do ex-diretor à Polícia Federal. A reunião será a portas fechadas, no gabinete de Vital do Rêgo.

Já há requerimentos aprovados para ouvir o ex-diretor, mas a vinda dele deve ocorrer apenas após os depoimentos à PF chegarem ao Congresso. “Se ele está negociando a delação premiada, vamos aguardar o encaminhamento da Justiça neste caso”, disse Vital do Rêgo.

Para Rubens Bueno, a CPMI precisa dar uma resposta rápida sobre as denúncias. “Quando há gravidade de uma situação como esta, o Parlamento tem de dar pronta resposta.”

Denúncia

Segundo a revista Veja desta semana, o ex-diretor da Petrobras teria apontado à PF o envolvimento de pelo menos 31 parlamentares no esquema, além de ministro, ex-ministro, governadores e ex-governador. A reportagem afirma que partidos políticos aliados ao governo, como PT, PMDB e PP, teriam recebido comissão sobre contratos fechados pela Petrobras com empreiteiras.

Antes de ser preso pela segunda vez, Paulo Roberto Costa falou à CPI da Petrobras no Senado e negou ter superfaturado contratos e desviado recursos.

Cerveró

A CPMI já tem reunião marcada nesta quarta, às 14h30, para ouvir o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró. Ele ocupava o cargo à época da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Rubens Bueno apresentou três requerimentos hoje para convocar a esposa de Cerveró, Patrícia, e outras duas pessoas envolvidas no aluguel de um apartamento avaliado em R$ 7,5 milhões no Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM

- Renan Calheiros, Henrique Eduardo Alves, Edison Lobão, senadores e governadores teriam recebido propina da Petrobras, diz Paulo Roberto Costa

- Escândalo Petrobras: Dilma aguarda 'dados oficiais' para comentar denúncias

- Petrobras: Marina Silva diz que citação de Campos por Costa é "ilação"

- Petrobras: Aécio Neves chama denúncias de ex-Petrobras de "Mensalão 2"